Escolha uma Página

Carlos Martins
O uso, pela Força Aérea Brasileira, do hangar das Lojas Havan em Navegantes, onde dois caças Gripen foram preparados para o voo, foi motivo de agradecimento.
Como falamos em primeira mão, os dois primeiros caças Gripen de série, foram desembarcados de navio no Porto de Navegantes, no final da semana passada, e seguiram pelas ruas da cidade até o aeroporto local, onde ficaram abrigados no hangar da empresa de Luciano Hang, dono das Lojas Havan e apelidado de “Veio da Havan”, até que decolassem para Gavião Peixoto, no interior de São Paulo.
O uso de um hangar privado não é novidade no programa do Gripen, já que, quando o primeiro caça (ainda protótipo) veio ao Brasil, utilizou o hangar privado da PolyFly. Desta vez, no entanto, foi necessária uma estrutura maior para acomodar as duas aeronaves, que ainda seriam preparadas para seguirem viagem no Brasil.
Embora tenha sido um processo normal, o fato da FAB usar o hangar de Hang, grande apoiador do Presidente Jair Bolsonaro, virou motivo de polêmica, com críticas e elogios, como foi possível acompanhar nos comentários à matéria nas mídias sociais.
Hoje (7), porém, o Comandante da Aeronáutica, Brigadeiro Carlos Baptista Júnior, agradeceu pelo apoio de Luciano Hang e da CCR Aeroportos, concessionária que assumiu recentemente a administração do Aeroporto Internacional de Navegantes.
Na foto, postada pelo Comandante, Luciano Hang está em seu hangar com um caça Gripen no fundo, e posa ao lado de um militar da FAB e um funcionário da SAAB, enquanto segura uma maquete do caça. Ainda não há informações sobre se a Havan foi compensada de alguma maneira pelo uso do hangar durante os três dias da chegada até o voo de partida das aeronaves.


*Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A
AEROIN/montedo.com

Skip to content