Escolha uma Página

Polícia encontrou provas que a funcionária teria tido envolvimento no crime; outras duas pessoas também já foram presas

[email protected]
Rio – Policiais da 79ª DP (Jurujuba) prenderam, nesta sexta-feira (25), em Niterói, uma funcionária que trabalhava no sítio onde o coronel reformado da Aeronáutica, Sérgio Martins Pina, 85, foi torturado e morto. O crime aconteceu em janeiro deste ano e desde então a delegacia investiga os três autores que praticaram o crime de latrocínio, roubo seguido de morte.
Os investigadores encontraram provas da participação da mulher no crime. A suspeita, que não teve o nome divulgado, foi presa após um trabalho de inteligência e monitoramento da 79ª DP. Contra ela foi cumprido um mandado de prisão preventiva. Segundo a delegacia responsável pelas investigações, outros dois envolvidos no crime também estão presos preventivamente, mas o nome de ambos também não foi divulgado.

Relembre o caso
O crime aconteceu no dia 7 de janeiro deste ano, no sítio do coronel, na Vila Progresso, bairro Pendotiba, em Niterói. De acordo com agentes do programa Segurança Presente de Niterói, o local foi invadido e roubado por três bandidos. O aposentado foi baleado com um tiro no abdômen e o caseiro não sofreu ferimentos. Eles foram feitos reféns enquanto os criminosos pegavam os objetos da casa.
Em seguida, as vítimas conseguiram fugir dos assaltantes e buscaram ajuda de policiais militares, que os levaram para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Mário Monteiro, em Piratininga. Sérgio ficou internado por dois dias no Hospital Estadual Azevedo Lima (Heal), no Fonseca, também em Niterói, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.
O Dia/montedo.com

Skip to content