Escolha uma Página

Vice disse que Brasil não concorda com conflito no Leste Europeu. Para Bolsonaro, Mourão não tem “competência” para falar sobre o assunto

Mayara Oliveira
O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, evitou comentar, nesta quinta-feira (3/3), as críticas endereçadas a ele pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) na semana passada. No dia em que a Rússia invadiu a Ucrânia, em 24 de fevereiro, Mourão afirmou que o Brasil não concorda com o conflito. Na ocasião, ele foi o primeiro integrante do alto escalão brasileiro a comentar a situação. Mourão declarou que “tem que haver uso da força e apoio à Ucrânia”.
Horas depois, durante uma transmissão nas redes sociais, Bolsonaro desautorizou Mourão e disse que o vice não tinha “competência” para comentar o assunto. “Deixar bem claro: o artigo 84 da Constituição diz que quem fala sobre esse assunto é o presidente. E o presidente chama-se Jair Messias Bolsonaro. E ponto final. Com todo respeito a essa pessoa que falou isso – e falou mesmo, eu vi as imagens – está falando algo que não deve. Não é de competência dela. É de competência nossa”, bronqueou o presidente.
Nesta quinta-feira, questionado se teria conversado com Bolsonaro sobre o episódio, Mourão evitou se manifestar e disse que o assunto diz respeito somente aos dois. O vice voltou a comentar o conflito entre Rússia e Ucrânia, mas sem dar grandes afirmações. Segundo ele, as sanções impostas contra a Rússia podem “surtir algum efeito, mas é preciso aguardar”.
“O que a gente entende é que há uma dificuldade dos russos em atingir os objetivos que traçaram. O povo ucraniano está resistindo. […] As sanções que foram aplicadas à Rússia não são piores do que as que foram aplicadas ao Irã […], mas eu acho que podem surtir algum efeito aí”, afirmou o general.
METRÓPOLES/montedo.com

Skip to content