Escolha uma Página

Os pelotões comandados pelo presidente russo, Vladimir Putin, já sitiaram ao menos 15 cidades da Ucrânia, além da capital do país, Kiev

Otávio Augusto
Guilherme Prímola

O conflito no Leste Europeu avançou de forma vertiginosa nas últimas horas. As tropas comandadas pelo presidente russo, Vladimir Putin, já sitiaram ao menos 15 cidades da Ucrânia, além da capital do país, Kiev, coração do poder.
O Metrópoles preparou mapas que ilustram como a situação tem se agravado na região. Os mais recentes bombardeios atingiram órgãos do governo ucraniano e equipamentos de comunicação.
A imagem abaixo mostra como as tropas russas cercaram a Ucrânia. Na prática, os militares tentaram “sufocar” o país. A ação, de cercar e disparar ataques simultâneos, minimiza a possibilidade de defesa e reação.

Mapa mostra tropas russas cercando a Ucrânia

Repare que as tropas se posicionaram na fronteira com a Rússia, na região da Crimeia, anexada ao território russo por Putin em 2014, e também em Belarus – o país é acusado de facilitar a invasão e de participar dos bombardeios.
Após o sucesso da operação para invadir o território ucraniano, os russos começaram os bombardeios. Os ataques ficaram concentrados em determinadas cidades para possibilitar o avanço das tropas.

Na imagem, as primeiras ocupações russas e o avanço após a invasão

A guerra chega nesta quarta-feira (2/3) ao sétimo dia. Além de Kiev, capital ucraniana e coração do governo (foto em destaque), Chemihiv, Ivankiv, Zhytomyr, Lviv, Chemowitz, Kherson, Odessa, Mykolaiv, Kamianske, Dnipro, Kharkiv, Mariupol, Belgorod, Boryspil e Chernobyl estão sob a mira dos russos.
Nas últimas horas, Kiev, Kharkiv, Kherson e Mariupol enfrentaram as situações mais dramáticas. Civis são o alvo da ação militar, e a Ucrânia já fala em 2 mil mortos.

Arte mostra a presença das tropas no território ucraniano

Áreas populosas – como praças, centros históricos, órgãos do governo em ruas movimentadas, hospitais, escolas, creches, orfanatos, entre outras instalações – estão na mira de mísseis.
A ordem de Putin é para manter os ataques massivos. O Exército russo ampliou o megacomboio que cercará Kiev. As tropas, que cobrem uma extensão de 64 quilômetros, se aproximam da cidade. Na segunda-feira (28/2), o comboio ocupava 27 quilômetros.
A intenção da Rússia é executar uma ação semelhante àquela feita quando as fronteiras com a Ucrânia foram invadidas, em 24 de fevereiro.

Sem negociações
O conflito parece não ter fim. A reunião entre representantes da Ucrânia e da Rússia, até então marcada para esta quarta-feira, com o objetivo de chegarem a um acordo de cessar-fogo nos confrontos do Leste Europeu, foi adiada.
Essa seria a segunda vez que os dois países se sentariam à mesa de negociação. A primeira reunião fracassou. Ainda não foi divulgada data para nova conversa.
METRÓPOLES/montedo.com

Skip to content