Escolha uma Página

Militar do Exército é detido após pichar sobre frase ‘Fora Bolsonaro’ em cartaz na UFJF
Segundo a PM, o autor relatou que discordou do banner e se sentiu no direito de manifestar a própria opinião. A Associação dos Professores de Ensino Superior (Apes) de Juiz de Fora repudiou o caso e o denominou como vandalismo. O g1 procurou os envolvidos.

Victória Jenz, g1 Zona da Mata — Juiz de Fora
Um capitão do Quadro Auxiliar de Oficiais do Exército Brasileiro (QAO-EB), de 59 anos, foi detido por um segurança da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), após pichar um banner da Associação dos Professores de Ensino Superior (Apes) de Juiz de Fora, na noite de segunda-feira(14).
O segurança acionou a Polícia Militar (PM) para o registro da ocorrência. Em nota, a Apes repudiou o ato, denominado como vandalismo pela associação.
Conforme a ocorrência enviada pela PM ao g1, o capitão relatou que não concordava com os dizeres do banner e que se sentiu no direito de manifestar a própria opinião e tentou apagar o nome do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).
O autor disse, ainda, que o local é público e não deveria ter “algo com os com dizeres denegrindo ou afrontando a imagem do presidente da República”.
Ainda segundo a PM, foi feito contato com a Polícia Federal (PF) e o delegado responsável informou que receberia a ocorrência no próximo dia útil, acionou a perícia técnica da PF para realizar os trabalhos de praxe na manhã de terça-feira(15).
Uma lata de spray com tinta automotiva foi apreendida.
Nesta quarta-feira (16), a reportagem entrou em contato, via e-mail, com a corporação para saber se o caso já foi registrado e quais os trabalhos realizados, mas não houve retorno até a publicação desta matéria.
Foi feito contato, também, com o Exército Brasileiro para pedido de posicionamento a respeito do caso. O portal aguarda retorno. Leia mais.
g1/montedo.com

Skip to content