Escolha uma Página

LUCAS NEIVA
Realizada pelo Exército em novembro de 2020, a Operação Mantiqueira simulava uma insurreição de grupos de esquerda contra o governo central. Para montar a simulação, a força terrestre criou entidades com nomes alusivos a grupos reais que se opõem ao atual governo: o PT se tornou Partido Operário (PO). O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) se tornou Movimento de Luta pela Terra. O levante do partido e do movimento é apoiado na simulação pelo jornal “mídia samurai” – uma paródia do que e a Mídia Ninja.
Os detalhes da simulação com inimigos semelhantes aos rivais de Jair Bolsonaro foram expostos em dezembro de 2021 pelo The Intercept, e chamaram a atenção do deputado Ivan Valente (Psol-SP), que solicitou por meio da Lei de Acesso à Informação os fundamentos e documentações utilizadas pelo Exército para embasar a operação.
Em resposta, o Exército alegou que os detalhes da operação se encontram “em plena consonância legal com a Doutrina de Emprego das Forças Especiais, mundialmente consagrada, e com a previsão constitucional de emprego das Forças Armadas, conforme artigo 142 da Constituição Federal”. O artigo em questão prevê a função das Forças Armadas de defesa do Estado de Direito.
A força terrestre nega que o cenário criado atenda algum interesse político. “As informações constantes na documentação do exercício são meramente fictícias e serviram somente para contextualizar o Exercício de Operações Contra Forças Irregulares do Curso de Forças Especiais, no ano de 2020, sem nenhuma conotação político-ideológica nem de nacionalidade”, ressalta.
Além disso, complementa que “o exercício visa tão somente aos militares desenvolverem a capacidade em combater Forças Irregulares, de Insurgência, de Guerrilha e/ou grupos armados contra o Estado de Direito”. A justificativa não convenceu o deputado. “Minimizaram, responderam estar em consonância com Estado Democrático de Direito. Absurdo! Por que não treinam com uma operação antifascista?”, declarou sobre a resposta em seu Twitter.
Congresso em Foco/montedo.com

Skip to content