Escolha uma Página

NORTON LUIS SILVA DA COSTA*
Eu vejo esse evento do lançamento da candidatura do Juiz Sergio Moro como uma nova esperança para o Brasil.
Tem várias opções aí, mas essa polarização atualmente existente entre os extremos direitistas x esquerdistas não ajuda de forma alguma o Brasil.
O POPULISMO é destrutivo para a democracia e não é um mal necessário.
O PR Jair Bolsonaro sempre apostou que, entre ele e Lula, os brasileiros de bem acabariam votando nele.
E isso efetivamente aconteceu em 2018.
Mas hoje as coisas parecem estar querendo mudar, um pouco.
Vejamos…..
Os EXTREMOS de direita, nem de esquerda, NÃO decidirão as próximas eleições.
São os indecisos! Pela última pesquisa de intenções de votos, há no país um numero bem elevado, cerca de 40%,de indecisos.
O JUIZ Sérgio Moro, além de ser odiado por ambos os extremos, tem mais condições de captar, trazer para si, por mérito, alguns dos milhões de votos que elegeram o PR.
Porquê é fato que há uma CERTA insatisfação dos “eleitores” do Messias Jair.
Depois do discurso do JUIZ SERGIO MORO, que deu a largada em sua campanha presidencial, pelo PODEMOS,do SEN ALVARO DIAS, partido que em princípio é de CENTRO DIREITA, isso ficou evidente.
E isso também gerou a existência de uma pequena mas real hipótese de que “bolsonaristas” menos radicalizados, ou também chamados de desertores ou traidores, se é que ainda existe algum, sejam levados a apoiar a candidatura de Sergio Moro, pois o ex-juiz é “um a mais” disputando o voto da centro-direita.
E isso afetará a candidatura do Bolsonaro à reeleição em 2022.
Os dois conversam, são honestos, não são corruptos e tem livre trânsito com um eleitorado mais conservador, e o Juiz Moro pode atrair aquele grupo mais elitista que votou no Bolsonaro e hoje se sente traído ou abandonado em promessas não cumpridas e atos populacionistas perpetrados até agora.
A “noticia” espalhada pela máquina de propaganda do PR de que o ex-juiz da Lava Jato o traiu não se coaduna com a realidade dos fatos e das ações e foi sepultada também pela parceria de negócios entre Jair Bolsonaro e Valdemar Costa Neto do nefasto CENTRÃO e do PL, provável partido ao qual o PR virá a se filiar .
Sergio Moro não traiu aquilo em que ele acreditava nem aqueles que o apoiaram durante a Operação LAVAJATO e levou as barras dos tribunais inúmeros corruptos, escancarando a realista atuação de políticos na ações de esbulho e roubo dos cofres públicos, quando aceitou fazer parte desse governo.
Jair Bolsonaro também não: ele sempre acreditou nos métodos do Centrão, que segundo ele mesmo diz sempre integrou e que admitiu publicamente se fez reconhecido como mais um “integrante e cupincha” daquele bando partidário.
Em seu discurso no ato de filiação ao Podemos, Sergio Moro fez um aceno aos militares das FFAA.
O ex-juiz disse que “precisamos cuidar da defesa nacional e de nossa soberania”.
“Vamos valorizar, sim, as Forças Armadas. O militar não é diferente dos outros. Somos todos brasileiros.”
Moro, no entanto, também deu um recado, ao afirmar que as Forças Armadas devem ser respeitadas “como instituição de Estado” e jamais devem ser utilizadas “para promover ambições pessoais ou interesses eleitorais”.
“As Forças Armadas pertencem aos brasileiros, e não ao governo.”
Por essas e por outras e que há uma certa agitação e nervosismo nas hostes Messiânicas…apareceu mais um adversário nas urnas e esse, dependendo do andar da carruagem política, poderá vir a ser o fiel da balança em 2022.
Eu, …bom eu vou aguardar para ver essa boa confusão!
*Coronel de Infantaria, também eleitor brasileiro.

Skip to content