Escolha uma Página

Ministro da Defesa ainda destacou que o governo federal celebra mil dias de gestão “sem nenhum caso concreto de corrupção”. Braga Netto viajou a Porto Velho (RO) para o lançamento do “Painel do Fogo”

Cristiane Noberto – enviada especial a Porto Velho (RO)
O ministro da Defesa, Walter Braga Netto, destacou a atuação das Forças Armadas na Amazônia na “dedicação e profissionalismo”, na proteção do bioma brasileiro. E frisou a integridade do governo do presidente Jair Bolsonaro. As declarações foram concedidas em evento alusivo aos mil dias de governo Bolsonaro e para entrega do Painel do Fogo, nesta quarta-feira (29/9), em Porto Velho (RO).
“Marinha do Brasil, Exército Brasileiro e Força Aérea Brasileira empregam seus meios, com dedicação e profissionalismo, assegurando a integridade do território nacional, protegendo as riquezas naturais e levando assistência às populações ribeirinhas e indígenas”, afirmou.
Braga Netto ainda afirmou que o governo brasileiro celebra mil dias de gestão “sem nenhum caso concreto de corrupção”. O ministro também foi enfático ao afirmar que a gestão Executiva “vem transformando o Brasil em um país melhor”.
Em seu discurso em Rondônia, o ministro ainda destacou que o governo federal segue alinhado ao programa “Caminho da Prosperidade”, apresentado por Bolsonaro antes das eleições de 2018. Braga Netto lançou atenção especial às entregas no estado nortista, sobretudo a operação Sumaúma e ao lançamento do Painel do Fogo.

Painel do Fogo
O Painel do Fogo é uma iniciativa do governo federal e desenvolvida pelo Ministério da Defesa, por meio do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam), para para combater os incêndios com maior agilidade. A ferramenta foi lançada nesta quarta-feira e tem o objetivo de agrupar e classificar automaticamente, no menor espaço de tempo, os focos de calor na Amazônia e no Pantanal. Assim, os agentes recebem os avisos de prioridade no menor tempo possível e conseguem fazer o combate aos incêndios mais urgentes nos biomas citados. Com isso, a atuação das equipes é otimizada e os recursos melhores aplicados.
A operação Sumaúma ocorreu entre 28 de junho a 31 de agosto, nos estados do Amazonas, do Pará, de Rondônia e de Mato Grosso. De acordo com o Ministério da Defesa, mais de 8.5 mil metros cúbicos de madeira foram apreendidos. Cerca de 34.396 litros de combustíveis, 50 tratores, 28 armas e 137 maquinários de serraria e mineração, entre outras, também foram capturados. Os focos de desmatamento também foram reduzidos. Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o desmatamento na Amazônia Legal teve redução de 32% no mês de agosto de 2021 em relação a agosto do ano passado. Em Rondônia, a redução neste ano foi de 52%.

Inventário florestal
Rondônia é o principal estado da Amazônia, por possuir maior extensão da floresta em seu território. Desta forma, o Ministério da Agricultura elaborou o Inventário Florestal, catalogando milhares de espécies de árvores, e reunindo entrevistas com moradores locais, afim de desenvolver a bioeconomia local.
“Mais do que um instrumento que traz um mapeamento botânico, zoobotanico e de conhecimento florestal, [o inventário] também traz uma série de informações desde o uso para a segurança nacional por meio do conhecimento do solo e geologia. O estado de Rondônia tem 53% de seu território coberto de floresta e agrega mais de 5 bilhões de toneladas de carbono. No momento em que estamos, de preocupação com o efeito estufa, enxergar de forma estratégica é um diferencial”, disse o secretário do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Pedro Neto. O representante da pasta compareceu ao evento no lugar da ministra Tereza Cristina, que está com covid-19.
Neto ainda fez referência às concessões florestais no estado de Rondônia. “O estado de Rondônia congrega grande parte das consensos de flores feitas pelo serviço florestal brasileiro. Isso é garantir o manejo sustentável do nosso patrimônio florestal”, finalizou.
CORREIO BRAZILIENSE/montedo.com

Skip to content