Escolha uma Página

…ou a continuidade de uma já instalada…de proporções até então nunca vistas ou imaginadas ….

Norton Luis Silva da Costa*
O conceito de crise depende do contexto no qual ela será inserida mas desde 1985, creio eu, não se registra TENSÃO tão aguda e perigosa entre os 3 Poderes da nossa República, colocando em riscos a Democracia.
Não posso deixar de citar que é uma situação de enorme conflito que ameaça diretamente a continuidade de um governo legalmente eleito e a Governabilidade plena da Nação.
O País pode estar rumando para uma GRAVE CRISE INSTITUCIONAL de resultados imprevisíveis?
SIM, ESTAMOS!
Se são dois ou 3 poderes em conflito direto ainda está obscurecida a lide pela falta de posicionamento claro do CN até o presente momento.
A velocidade dos acontecimentos políticos tem ultrapassado todos os limites, ocorrendo de minuto a minuto e de uma forma célere e continua por todos os atores envolvidos.
Parte importante do empresariado do agronegócio, carro chefe do PIB Brasileiro mobilizou-se publicamente em apoio ao PR, enquanto as Forças Armadas se mantêm caladas e à margem de toda discussão.
Para reflexão vejamos alguns fatos interessantes:
José Dirceu, “maledeto” PRÓCERE COMUNISTA e o maior mentor intelectual do SISTEMA que ataca a Nação e o Governo:

“O JUDICIÁRIO não é poder da República. Nossa constituição estabeleceu três poderes, mas só existem dois: os eleitos, que têm soberania popular, o Legislativo e o Executivo. O Judiciário é um órgão, que tem que ter autonomia, independência.”

“Os Ministros do Supremo não são Supremos. Nem juízes são. Com exceção de dois concursados da justiça do trabalho e só um da Justiça comum, todos os outros eram advogados, a maioria de Partidos Políticos.”

“Todos foram indicados e nomeados, NÃO POR ELEVADO SABER JURÍDICO, MAS POR CONCHAVOS POLÍTICOS, pelos Presidentes que estavam exercendo o poder na época e acolhidos pelo Senado.

Beijaram as mãos dos senadores, DE GABINETE EM GABINETE, pedindo votos e jurando defender a Constituição.”

“Foram indicados nesta função para aplicar corretamente as Leis escritas na Constituição e não para fazer leis. Se foram nomeados podem ser demitidos.”

“E nítido que alguns desses Togados Ministros, ou em sua maioria, ameaçam a democracia legalmente eleita , porque tem ultrapassado todas as fronteiras da legalidade nas suas tortas leituras interpretativas da Constituição, do Direito e dos fatos.”

“Vivendo na bolha isolada da Corte Suprema, perderam a vinculação com o mundo real.”

“Estão embriagados com o poder e encantados pela arrogância.
Rasgam a Constituição, inventam leis e prendem os seus críticos.”

Essa para esse escriba, é a mesma visão da Direita extrema.
Sem tirar nem botar.
Não é coincidência e sim são verdadeiras visões similares de um mesmo dito poder da Republica advindas de fontes distantes e diversas.
E em absolutamente nada difere do atual pensamento de muitos de nós.
Temos também uma “Imprensa viciada”, maldosa, parcial e integrante desse maléfico SISTEMA dominada pelos Os Frias: donos do Grupo Folha; Os Marinhos: donos do Grupo Globo; Os Mesquitas: donos do Grupo Estado.
Eles formaram um “Cartel de Imprensa”, que prestam um descomunal desserviço ao Pais , que chamaram de “Consorcio de Veículos de Imprensa” (TV Globo, G1, Globo News, O Globo, Extra, O Estado de S.Paulo, Folha de S. Paulo e UOL). Nada do que advém desses ditos órgãos ajuda a diminuir a Crise em que vivemos ou que estamos adentrando.
E também nítida a minha sensação de que a crise institucional impacta a economia já que aumenta o nível de incerteza em relação à economia brasileira perante o mercado internacional e perante o público interno, pressionando o câmbio, o valor do Dólar e a inflação, dificultando a retomada do crescimento.
Mas o capítulo dessa saga hoje sobre manifestações históricas de 7 de setembro, até o presente momento mostrou um CN na figura do Deputado ARTHUR LIRA , totalmente em cima do muro não se posicionando nem contra nem a favor, posicionamento o esse confortável para a dita e ridícula classe política.
Claramente se vê que a declaração e fruto de negociação com políticos.
Já o STF reagiu fortemente e deu nome aos bois aceitando a luta e o combate contra as afirmações feitas ontem pelo PR, ou seja, vamos ao duelo, queremos a luta e o combate.
Ele foi direto, curto e também grosseiro para com o PR.
Na outra vertente o PGR pediu conciliação, e alertou o STF sobre cumprir a CF 88.
O CENARIO AINDA ESTÁ OBSCURO…NAO TIREMOS CONCLUSOES PRECIPITADAS MAS CONTINUAMOS VIVENCIANDO UM MOMENTO HISTORICO!
COMO POVO, AGUARDEMOS!
*Coronel de Infantaria R/1

Skip to content