Escolha uma Página

Em audiência na Câmara dos Deputados nesta terça-feira (17/8), ministro da Defesa negou que Bolsonaro faça uso político das Forças Armadas

Flávia Said
Mariana Costa

Em audiência na Câmara dos Deputados nesta terça-feira (17/8), o ministro da Defesa, general Walter Souza Braga Netto, negou que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) faça uso político das Forças Armadas e que haja política partidária dentro do quartel.
“Primeiro: o presidente da República não usa politicamente as Forças Armadas, ponto. Não usa. Segundo: não existe política dentro do quartel, política partidária. Alguns dos senhores confundem política com a defesa dos interesses da Força. E os comandantes, sim, conversam com parlamentares, conversam com ministros para defender as políticas da Força”, afirmou o general aos deputados.
Na terça-feira da semana passada (10/8), Bolsonaro assistiu, do Palácio do Planalto, a um desfile de cerca de 40 blindados, caminhões e tanques na Esplanada dos Ministérios. Os veículos circundaram a Praça dos Três Poderes, em Brasília, a caminho de Formosa (GO).
O desfile militar na capital federal, inédito até então, foi duramente criticado por autoridades, que o viram como uma intimidação à votação, que ocorreu naquele dia, da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 135/2019, do Voto Impresso. A proposta acabou rejeitada, mas segue gerando atrito entre os Poderes.
Braga Netto foi convidado por três comissões da Câmara dos Deputados — Fiscalização Financeira e Controle; Relações Exteriores e Defesa Nacional; e Trabalho, Administração e Serviço Público — para esclarecer fatos, declarações e notas oficiais recentes do Ministério da Defesa.
Em uma dessas frentes, houve a revelação de que o ministro supostamente teria enviado um recado, através de um interlocutor político, para o presidente da Câmara, Arthur Lira (Progressistas-AL), ameaçando a realização das eleições se a PEC do Voto Impresso não fosse aprovada.
O ministro da Defesa disse ainda que o Brasil tem o 10º maior poderio militar do mundo, mas o país praticamente não o demonstra. “O Brasil tem um poderio muito forte”, afirmou.
Tanto o desfile militar da última semana quanto a demonstração do treinamento da Operação Formosa, na segunda-feira (16/8), foram alvo de chacota nas redes sociais em razão dos equipamentos utilizados.
METRÓPOLES/montedo.com

Skip to content