Escolha uma Página

Segundo antecipou o Metrópoles, nesta quinta-feira (10/6), o presidente Jair Bolsonaro autorizou uma nova fase da Operação Verde Brasil

Mariana Costa
O vice-presidente Hamiton Mourão (PRTB) disse, na manhã desta sexta-feira (11/6), que a Operação Verde Brasil 3 deve ter início na próxima semana. Conforme o Metrópoles antecipou, na quinta-feira (10/6), depois de diversos impasses, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) autorizou a operação em prol do combate ao desmatamento na Amazônia.
“Em princípio, semana que vem. Quero reunir todo mundo e preciso que o Ibama e o ICMbio cheguem junto, porque se eles não chegarem junto, não tem sucesso isso. Então, preciso que eles trabalhem bem, com a gente”, disse o general, que também preside o Conselho Nacional da Amazônia Legal (Cnal).
O general disse também que conversou que o ministro da Economia, Paulo Guedes, que liberou um recurso de aproximadamente R$ 50 milhões. A terceira fase deve durar em torno de dois meses, segundo Mourão.
Na segunda-feira (7/6), o general havia dito que a terceira fase da ação vinha sendo estudada, mas que seria mais tímida.
“A gente precisa fechar as principais áreas de operações, estamos definindo certinho para poder atacar em massa, onde está acontecendo a maior parte do problema. É um trabalho conjunto entre a secretaria do Conselho Nacional da Amazônia Legal e o Gabinete de Segurança Institucional”, disse Mourão sobre a respectiva definição.
Contudo, questionado sobre a eficácia da operação contra o desmatamento ilegal, no período de dois meses, Mourão disse que “pode ser que não seja eficaz”.

Operação Verde Brasil 2
A Operação Verde Brasil 2 se encerrou no dia 30 de abril, mas Bolsonaro, até então, não havia manifestado interesse na prorrogação na ação. Coincidindo com a retirada do militares da Amazônia, os índices do desmatamento e queimadas bateram recordes históricos, a partir de maio.
De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o total de focos de queimadas registrados na Amazônia Legal em maio deste ano foi 49% maior que o número registrado no mesmo mês de 2020. O número é ainda 34,5% superior à média histórica do mês.
Além das queimadas, a Amazônia ainda enfrenta recorde de desmatamento há três meses consecutivos. Até o dia 28 de maio, a região tinha 1.180 km² de área sob alerta de desflorestação, o maior número para o mês desde 2016. Os dados também são do Inpe.
METRÓPOLES/montedo.com

Skip to content