Escolha uma Página

Em nota, comando do Exército disse que “não restou caracterizada a prática de transgressão disciplinar” por parte de general e ex-ministro da Saúde

KELLY MATOS
A decisão do Exército de absolver o ex-ministro da Saúde e novo secretário de Estudos Estratégicos da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, general Eduardo Pazuello, no caso de sua participação em ato político a favor do presidente Jair Bolsonaro repercutiu fortemente na cúpula militar.
Como se sabe, pelo regramento das Forças Armadas, militares da ativa não podem se manifestar politicamente. Por este motivo, a decisão foi vista com maus olhos, em especial por generais mais experientes.
A coluna conversou com o ex-ministro do Gabinete de Segurança Institucional do governo Temer, o general Sérgio Etchegoyen. Ethegoyen é voz respeitadíssima no círculo militar e também na esfera política, por sua postura comprometida com a institucionalidade. Em mais de uma ocasião, foi dele a voz assertiva que afastou qualquer possibilidade de ruptura democrática que pudesse partir das Forças Armadas.
Ao comentar o episódio envolvendo Pazuello, o ex-ministro ressaltou a crença nos princípios da “hierarquia” e da “disciplina”.
– O que posso dizer é que por toda a minha carreira procurei ser disciplinado e exerci, quando me tocou, a necessária ação disciplinadora. Exatamente porque sigo teimosamente acreditando nos princípios sagrados da hierarquia e da disciplina, sinto-me impedido de criticar qualquer ato do Comandante do Exército. Por outro lado, jamais agredirei minhas convicções para defender o indefensável – ressaltou.

Leia a nota divulgada pelo Exército:

Acerca da participação do General de Divisão EDUARDO PAZUELLO em evento realizado na Cidade do Rio de Janeiro, no dia 23 de maio de 2021, o Centro de Comunicação Social do Exército informa que o Comandante do Exército analisou e acolheu os argumentos apresentados por escrito e sustentados oralmente pelo referido oficial-general.
Desta forma, não restou caracterizada a prática de transgressão disciplinar por parte do General PAZUELLO.
Em consequência, arquivou-se o procedimento administrativo que havia sido instaurado.
Brasília-DF, 3 de junho de 2021
CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DO EXÉRCITO

GZH/montedo.com

Skip to content