Escolha uma Página

Rio – A milícia usou munição do Exército para executar um desafeto na Baixada Fluminense. Cápsulas encontradas no local do homicídio, cometido no final do ano passado, em Duque de Caxias, fazem parte de lote adquirido pelo Exército, segundo a Polícia Civil.
Em 4 de dezembro, Edson Nascimento da Silva estava sentado num bar quando foi surpreendido por dois atiradores, que saltaram de uma caminhonete e atiraram. Ao todo, 22 disparos acertaram a vítima. Dois estojos, de calibre 9mm, encontrados na cena do crime eram parte do lote AYS86, comprado pelo Exército em 2013. A informação foi passada à Polícia Civil pela CBC, que fabricou a munição.

Crimes em sequência
Momentos antes, os mesmos homens executaram Charles Augusto Ponciano com 17 tiros, durante um churrasco que fazia em casa no bairro Jardim Anhangá. Cartuchos recolhidos no local fazem parte do lote BQJ03, da Companhia Brasileira de Cartuchos (CBC), adquirido pela PM do Rio em 2008.

Prisões
Três policiais militares foram presos no último dia 15, acusados das execuções: os cabos Leandro Machado da Silva, do 15º BPM (Duque de Caxias) e Luiz Carlos da Costa Ribeiro, da UPP Santa Marta, e o soldado Allef Alves Bernardino, da UPP Vila Cruzeiro.
Com informações do jornal EXTRA

Skip to content