Escolha uma Página

CARLA ARAÚJO
Terceiro ministro da Saúde um comandante para enfrentar a pandemia do coronavírus , o general Eduardo Pazuello adotou a reserva para abordar a evolução do seu tratamento contra a doença. O diagnóstico do ministro foi confirmado no dia 21 de outubro. De lá para cá, foram divulgadas notas que pouco esclarecem o quadro clínico dele. Não há, até o momento, nenhum documento público com a assinatura de médicos que estão ou já atenderam Pazuello.
Os textos apenas fazem questão de reforçar que o militar está bem e deve deixar o hospital em breve. Foi admitida uma desidratação. Mas, não se sabe, de fato, quais reais sintomas o ministro tem.
Se tem problemas respiratórios. Se o paladar e o olfato foram comprometidos. Dor de cabeça. Sintomas comuns em parte das pessoas que testaram positivo.
O ministro é hipertenso e obeso, duas características que podem acarretar em complicações por conta da covid.
É direito de qualquer paciente o sigilo de seu estado de saúde, mas quando falamos de uma autoridade, de um ministro de estado, do ministro da Saúde, em plena pandemia, o interesse público e a transparência devem prevalecer, ainda mais quando se trata do gestor que é responsável por fixar as diretrizes e políticas para o combate ao coronavírus.
Ao longo do feriado, uma série de informações não se confirmar – como a previsão de alta – e acabaram criando um ambiente de dúvidas. [Domingo](1), depois de deixar o hospital privado em Brasília, Pazuello seguiu para o Hospital das Forças Armadas (HFA) e passaria mais uma noite por lá “apenas como medida preventiva”. “Pazuello está bem e estável e deve permanecer em repouso até amanhã”, dizia uma nota enviada pela assessoria da Saúde.
Generais ouvidos pela coluna minimizaram a internação no HFA e disseram que “protocolos militares” exigiam que o ministro tinha o acompanhamento dos médicos que estavam cuidando dele desde o início da doença. Todos garantiram que o ministro “está passando bem. Sem complicações”.
[Ontem](2), no entanto, não houve a alta. “O ministro já não apresenta quadro de desidratação e não houve nenhuma nova intercorrência. Pazuello está bem e consistente, mas continuará sendo monitorado pela equipe médica”.
Pazuello ainda é militar ativo. Está sob os cuidados de uma instituição militar. Os protocolos militares, que buscam sempre manter a credibilidade, não estão sendo transparentes e deixam a desejar no caso da doença do ministro.
UOL/montedo.com

Skip to content