Escolha uma Página

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) afirmou, na noite de hoje, que os militares vão pagar tanto pelos erros quanto pelos acertos, ao comentar o número excessivo de militares em cargos no governo de Jair Bolsonaro (sem partido). A declaração ocorreu durante a participação no programa “Roda Viva”, da TV Cultura.
“Acho que há um excesso [de militares], não é necessário. Há gente civil competente, assim como militares também. Agora, eu, se fosse presidente —ainda bem que não sou mais porque é complicado—, não poria ninguém só de uma categoria, acho que é exagero. Tudo que fizer vai ser atribuído aquela categoria. Os militares, queiram ou não queiram, vão pagar agora pelos erros e também pelos acertos do governo “, disse FHC.
O número de militares da ativa e da reserva em cargos civis mais que dobrou no governo de Bolsonaro, em comparação com o último ano da gestão de Michel Temer (MDB), segundo levantamento feito TCU (Tribunal de Contas da União), obtida pela reportagem do UOL .
Até julho, eram 6.157 militares nesta situação, em comparação com 2.765, em 2018. Eles ocupam cargos em conselhos de estatais, na alta administração do Poder Executivo, cargos comissionados, temporários e na administração Pública. Também há 1.249 militares em cargos de profissionais da saúde. Antes do governo Bolsonaro, eram 718
militares exercendo estas funções.Leia mais.
UOL/montedo.com

Skip to content