Escolha uma Página

Militar do Exército é preso suspeito de estuprar duas mulheres em matagal próximo ao serviço, em Aragarças
Vítimas alegaram à Polícia Civil que caminhavam quando foram abordadas por um homem portando uma faca e que foram levadas para um matagal de área militar, onde teriam sido abusadas sexualmente.

Rafael Oliveira, G1 GO
Um soldado do Exército Brasileiro, sem identidade e patente reveladas, foi preso nesta segunda-feira (1º) como suspeito de estuprar duas mulheres em um matagal de área militar, onde ele trabalha, em Aragarças, na região oeste do estado.
O delegado Ramon Queiroz ouviu as vítimas, de 39 e 26 anos, que relataram fazer caminhada todas as manhãs em uma área militar do 58º Batalhão de Infantaria, por acreditar que o local fosse mais seguro. Mas na manhã desta terça (1), as mulheres foram abordadas por um homem portando uma faca, que as obrigou a entrar num matagal de propriedade do Exército.
Como as identidades das vítimas e do suspeito não foram reveladas, o G1 não localizou as defesas para se manifestarem sobre a prisão e a suposta violência sexual. A reportagem tentou contato com a assessoria de imprensa do Exército e aguarda retorno.
As vítimas teriam sido estupradas no meio do mato, conforme apontaram os exames de corpo de delito ao identificar a violência sexual, segundo o delegado, que reforça que as mulheres conseguiram fugir após o ato e pedir socorro a um militar que entrava no serviço e efetuou a prisão do colega.
“As vítimas, que são amigas, perceberam que o homem conhecia a região e se tratava de um militar. Ele ameaçava as mulheres com uma faca. Após a conjunção carnal, elas conseguiram fugir e foram socorridas por outro militar que entrava para o serviço. Esse militar que efetuou a prisão do colega”, relata o delegado.
O crime será investigado pelo Comando do Exército, segundo o delegado, por se tratar de crime praticado por militar da ativa e em área de propriedade da Força militar. Por isso, o suspeito não foi interrogado pela Polícia Civil e está preso no batalhão. A polícia colaborou com oitivas preliminares e com os laudos periciais.
G1/montedo.com

Skip to content