Escolha uma Página

Ele e o irmão, que está foragido, foram expulsos da casa noturna na Ilha do Governador e voltaram para se vingar. Em nota, Flamengo disse que contrato do atleta terminou e não foi renovado.

Leslie Leitão e Lívia Torres, RJ2
Um sargento da Marinha que era também atleta de remo do Flamengo foi preso suspeito de atingir um rapaz na saída de uma boate na Ilha do Governador, Zona Norte do Rio, antes da pandemia de coronavírus. O caso foi revelado nesta sexta-feira (22) pelo RJ2.
O suposto autor do disparo é Renato Azevedo, que teria tentado atingir um segurança e acabou acertando o pescoço de um rapaz que não tinha a ver com a confusão. A vítima foi levada ao hospital e teve alta.
O caso está sendo investigado pela 37ª DP (Ilha do Governador). Segundo o delegado Marcus Henrique Alves, Renato não falou durante o depoimento e disse que só vai se manifestar em juízo.

Expulsão após briga
O crime ocorreu em 9 de março. Renato chegou à boate com o irmão Marcos por volta das 22h30. Cerca de uma hora depois, os dois foram expulsos após se envolverem numa briga, segundo a investigação.
A polícia diz que os dois foram expulsos do local, mas tentaram entrar com outra roupa e foram barrados. Neste momento, eles teriam decidido passar na porta atirando.
Nas imagens, segundo a polícia, é possível ver Renato na garupa e os dois irmãos fugindo em alta velocidade. Renato foi preso e está em uma unidade da Marinha, enquanto Marcos está foragido.

O que diz o Flamengo
Em nota, o Flamengo informou que o contrato com Renato não foi renovado.

“O Clube de Regatas do Flamengo esclarece que Renato César Cataldo Felizardo de Azevedo, atleta de remo e sargento da Marinha do Brasil, acusado de ter efetuado dois disparos contra um homem após uma discussão na Ilha do Governador, não é mais atleta do clube. Desde março as atividades estavam suspensas na Gávea, devido à Covid-19, e, no mesmo mês, o contrato do atleta não foi renovado. O clube sequer chegou a ser informado sobre a acusação e não tem nenhum vínculo com o acusado.”

Nota da Marinha
Também em nota, a Marinha disse que o sargento está preso temporariamente desde de 29 de abril.

“Em relação à matéria intitulada “Oficial da Marinha que é ex-atleta do Flamengo é preso suspeito de atirar em rapaz em saída de boate no Rio” publicada no “portal G1”, em 22 de maio de 2020, a Marinha do Brasil (MB), por intermédio do Comando do 1° Distrito Naval, esclarece que o sargento está preso temporariamente desde o dia 29 de abril de 2020. A MB não recebeu formalmente, até o momento, nenhuma alteração da sua situação de encarcerado.
A MB ressalta que as causas e responsabilidades do caso têm sido investigadas no âmbito da Justiça Estadual.
Por oportuno, a MB reitera que repudia quaisquer atos ilegais contra a vida, a honra e os princípios militares.
Comando do 1º Distrito Naval.”

G1/montedo.com

Skip to content