Escolha uma Página

Militar chegou de missão no Rio no dia 23 de março, em navio que tinha cinco integrantes com sintomas da doença.
Militar morreu no dia 14 de abril

Ari Peixoto, RJ1
Um militar da Marinha, que tinha voltado de uma missão, morreu de Covid-19. Depois desse caso, a partida de um navio programada para o próximo fim de semana foi cancelada.
A fragata União deveria partir da Base Naval de Mocanguê, no domingo (19). O RJ1 teve acesso ao plano do dia da fragata, uma espécie de diário de bordo do navio. No documento, a previsão de partida era às 20h de domingo e o retorno, no dia 25 de abril.
A missão é o estágio de qualificação para futuros comandantes de submarinos. A fase tática significa que é a parte prática de um curso que começou num centro de adestramento da Marinha. Os tripulantes estavam assustados, como o enviado num áudio que diz:
“Eu acho isso um absurdo, em plena essa pandemia de coronavírus, onde vários militares já têm como histórico de pessoas na família com o vírus, ficarem confinados dentro de um navio, 200 homens, onde os camarotes onde se dormem são dez, quinze pessoas dentro de um camarote. Um beliche em cima do outro. Ou seja, a pessoa vai ficar respirando, respirando, espirrando, tossindo um em cima do outro ali dentro, podendo passar esse vírus muito facilmente”. Nesta sexta-feira (17), de manhã cedo, quando a tripulação chegou para embarcar, descobriu que a viagem tinha sido cancelada.
A assessoria de comunicação da Marinha não comento o cancelamento da viagem, porque, segundo ela, esse planejamento é sigiloso e restrito ao pessoal da esquadra.
Mas os assessores confirmaram o motivo que deixou os tripulantes da fragata União amedrontados, que foi a morte de um militar que estava embarcado em outro navio, pela Covid-19. O militar viajou no navio Almirante Saboia, que chegou ao Rio no dia 23 de março, já com o comandante, o imediato e outros três integrantes da tripulação apresentando os sintomas da doença.
Segundo uma nota divulgada pela Marinha, o militar que morreu não tinha os sintomas na chegada. Só no dia seguinte ele procurou atendimento médico, com sintomas leves do coronavírus. Ele foi encaminhado para isolamento domiciliar, mas em 1º de abril voltou ao hospital com piora no quadro respiratório. Internado na UTI, o militar teve a confirmação da doença. Ele morreu na noite do da última terça-feira (14).
A nota diz ainda que o navio foi higienizado e está pronto, mas não há previsão de partida, e que a Marinha está prestando assistência psicológica e social ao parentes do militar morto.
G1/montedo.com

Skip to content