Escolha uma Página

Polícia Civil conclui investigações de incêndio criminoso que matou pai e filha em Barbacena
Suboficial da Aeronáutica é apontando como autor do crime e responderá por dois homicídios consumados e tentativas de homicídio. Incêndio ocorreu em 15 de março e deixou pelo menos 12 pessoas feridas.

Amanda Andrade, G1 Zona da Mata
A Polícia Civil concluiu, nesta terça-feira (14), as investigações do incêndio criminoso em Barbacena que resultou na morte de pai e filha, de quatro anos, além de pelo menos, 12 pessoas feridas.
O suspeito de cometer o crime é um homem de 45 anos, que é suboficial da Aeronáutica.
Ele foi indiciado e irá responder por dois homicídios consumados, tentativas de homicídio contra os moradores, danos qualificados e crime de incêndio.
O militar já estava preso preventivamente desde o dia 16 de março.

Inquérito
A Polícia Civil informou que esgotou todas as diligências cabíveis no inquérito, e realizou laudo pericial do levantamento do local, laudo de necropsia, oitivas das vítimas e testemunhas e análise do circuito interno do prédio, que mostrou o momento do crime.
Segundo as investigações, o suboficial utilizou o incêndio como pano de fundo de violência doméstica contra a ex-esposa, que residia no prédio. O objetivo do homem era atingir o carro da mulher.
Com a morte do jornalista Thiago Faria de Pupo Nogueira, pai da criança de que faleceu no dia do incêndio, a Polícia Civil aguarda a missa de sétimo dia em respeito à família e, em seguida, solicitará aos familiares a cópia da certidão de óbito para que o fato seja oficialmente informado à Justiça.

Crime
Equipes trabalham no rescaldo após combate a incêndio em Barbacena — Foto: Corpo de Bombeiros/DivulgaçãoEquipes trabalham no rescaldo após combate a incêndio em Barbacena — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação
Equipes trabalham no rescaldo após combate a incêndio em Barbacena — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação
De acordo com a Polícia Militar (PM), no dia 15 de março, o suboficial da Aeronáutica ateou fogo no carro da ex-esposa, que estava estacionado na garagem do local.
As chamas espalharam e atingiram o edifício e mais outros 11 veículos.
O Corpo de Bombeiros informou que o incêndio começou em um veículo na garagem e se propagou pela edificação.
Segundo as informações dos militares, quando a equipe chegou ao local, na Rua José Felipe Saad, havia muita fumaça e a evacuação dos moradores dos 14 apartamentos foi feita por uma escada da corporação no primeiro andar do prédio, que tem um total de três.
Os militares também iniciaram as buscas na edificação para a localização de possíveis vítimas. Uma menina de quatro anos foi encontrada morta.
No total, foram resgatadas pelos bombeiros 12 pessoas feridas, sendo que nove delas em estado grave devido à inalação de fumaça e queimaduras.
Ao todo, 28 moradores foram resgatados pela corporação. Todas as vítimas foram encaminhadas para o Hospital Regional de Barbacena. Como as identidades das vítimas não foram informadas, ainda não foi possível atualizar o estado de saúde das mesmas.
Após o incêndio, Thiago Faria de Pupo Nogueira, pai da menina de quatro anos, foi transferido em estado grave para o Hospital João XXIII em Belo Horizonte.
Ele não resistiu aos ferimentos e morreu no domingo (12).
G1/montedo.com

Skip to content