Escolha uma Página
Ajuda nas intervenções no Brasil
Itamaraty não recomenda envio
Temer decidirá nos próximos dias
Forças Armadas em operação na Vila Kennedy, zona oeste do Rio de Janeiro (Tânia Rego-ABr)
TALES FARIA – O presidente Michel Temer deve decidir nos próximos dias se o Brasil enviará tropas para a missão de paz da ONU na República Centro-Africana.
A República Centro-Africana está em guerra civil desde 2013. É considerada pela ONU a área mais difícil sob missão de paz no mundo. Em novembro, a organização pediu apoio ao Brasil. O então ministro da Defesa, Raul Jungmann, dispôs-se a enviar 1.000 homens.
As Forças Armadas avaliam que só têm a ganhar em missões no exterior como essas –a do Haiti foi 1 exemplo. Os militares consideram que essas operações servem de treinamento para missões em áreas urbanas conflituosas, como as recentes no Rio de Janeiro, Ceará e Rio Grande do Norte.
No entanto, o Ministério das Relações Exteriores não vê com bons olhos a medida e é contra o envolvimento no conflito da África.
Além de a ação servir como treino, para o Exército também significa receber mais dinheiro do Tesouro, sem tirar verba do Orçamento das Forças Armadas.
No Haiti, foram aplicados cerca de R$ 2 bilhões de 2004 a 2013, metade reembolsada pela ONU. O Brasil comandou de 2004 a 2017 o componente militar da missão.
Na República Centro-Africana seriam R$ 450 milhões só no 1º ano. O dinheiro serve para a manutenção das tropas locais e para a compra de equipamentos que se incorporam depois às Forças Armadas.
PODER360/montedo.com
Skip to content