Escolha uma Página
Publicação no Diário Oficial confirma a data de previsão do 34º Batalhão de Infantaria e Selva.
Brigada vai ser inaugurada em janeiro (Foto: Jorge Abreu/G1)
Brigada vai ser inaugurada em janeiro (Foto: Jorge Abreu/G1)
Jorge Abreu, G1 AP, Macapá
Macapá (AP) – Foi publicado no Diário Oficial da União a inauguração da “Brigada Foz do Amazonas” para o dia 26 de janeiro de 2018, que funcionará na área do Comando de Fronteira do Exército no Amapá. O complexo operacional e administrativo vai abrigar até 3 mil militares.
De acordo com o comandante do 34º Batalhão de Infantaria e Selva (BIS), Robson Mattos, a inauguração traz um alto escalão para a guarnição que, atualmente, é comandada por um coronel e passará ser liderada por oficial general.
Para o militar, o novo complexo vai resultar em geração de novos empregos e em um reforço no trabalho realizado na fronteira do Brasil. Além do Amapá, a brigada vai abranger o 2° e 24º BIS, dos estados do Pará e Maranhão, respectivamente.
“A vinda da brigada representa um escalão acima do batalhão, que vai trazer um ganho de segurança, já que enquadra três batalhões. A capacidade de colocar homens na fronteira será muito maior, além da contratação por alistamento com a geração de novos empregos”, destacou.
As obras iniciaram em setembro de 2014 e estão nos preparativos finais. A construção foi orçada em aproximadamente R$ 18 milhões. A Foz do Amazonas vai reunir o corpo da guarda, pavilhão e companhia de comando, além de blocos de alojamento.
“Os atrasos nas obras aconteceram em função dos contratos com as empresas e adiamento de entrega. Também, obviamente, em função da situação orçamentária que o país viveu ao longo desse ano, com algumas restrições que impuseram esse atraso no cronograma”, completou Mattos.
A brigada também vai oportunizar o crescimento no número de jovens que serão convocados para o Exército. Anualmente, a unidade amapaense contabiliza mais de 8 mil alistamentos. Desses, 200 são selecionados.
O Exército Brasileiro pretende aumentar de 830 para 3 mil o efetivo de militares atuando no Amapá. O crescimento será necessário por ocasião da construção da brigada militar no estado, em que eles ficarão alojados como soldados, técnicos e oficiais.
G1/montedo.com
Skip to content