Escolha uma Página
Jovem de 26 anos foi detido pela PM no Hospital Geral de Roraima.
Ele foi levado à delegacia e liberado em seguida; farda foi apreendida.

Emily Costa
Do G1 RR
Policiais militares detiveram na tarde deste sábado (28) um jovem de 26 anos que usava um uniforme completo do Exército Brasileiro. À polícia, ele afirmou que estava vestindo a farda porque é tenente coronel das Forças Especiais Norte-Americanas e que é ‘guardião’ de um projeto de disco voador.
O jovem foi levado ao 5º Distrito Policial e liberado em seguida. Ele foi detido com base em Lei de 1941 que diz ser proibido “usar publicamente uniforme ou distintivo de função pública que não exerce”.
Conforme os policiais militares que fizeram a prisão, o jovem estava no Hospital Geral de Roraima, na zona Oeste da capital, quando foi visto usando o uniforme. Ele não resistiu à voz de prisão.
“Pessoas que estavam no hospital acharam o comportamento dele estranho e viram que ele tinha o cabelo grande demais para ser militar. Assim, chamaram a PM e pediram que nós o retirássemos do hospital”, detalhou um dos policiais responsáveis pela prisão do jovem.
Em depoimento na delegacia, o jovem disse ser descendente de portugueses, norte-americanos e brasileiros e que está a serviço das Forças Especiais dos EUA. Ele afirmou ainda ser responsável pelo projeto de um disco voador, herdado de Napoleão Bonaparte.
“Quando eu estou sem a farda, as pessoas não me reconhecem como militar, por isso tive de usá-la hoje”, justificou em depoimento à delegada plantonista Eliane Gonçalves.
Ao ser questionado sobre a origem do fardamento, o jovem não soube explicar onde o conseguiu. “Eles me deram lá em Rorainópolis [cidade no Sul do estado] após eu ter feito o treinamento militar”, declarou, após negar ter problemas mentais.
Após prestar depoimento, o jovem foi liberado. A delegada determinou a apreensão do fardamento.
Exército vai apurar caso
Ao G1, o assessor do Exército em Roraima frisou que o uso de uniformes militares por civis é proibido e que o caso do jovem detido será apurado. “Vamos acompanhar esse caso porque recisamos saber onde ele conseguiu o fardamento”, explicou o major Rodrigo Luiz.
G1/montedo.com
Skip to content