Escolha uma Página
Militar que matou a namorada grávida é condenado
Neolan Oliveira Santiago, de 19 anos, recebeu pena de 18 anos de prisão. Crime aconteceu em dezembro de 2014 na Baixada Fluminense

RIO – O militar do exército Neolan Oliveira Santiago, de 19 anos, acusado de matar a namorada grávida, em dezembro do ano passado, foi condenado a 18 anos de prisão, nessa quarta-feira. No dia 8 de dezembro, após discutir com Liliane Ferreira da Silva, na época com 17 anos, Leonan a matou com seguidos golpes de faca, na casa dela, em Austin, em Nova Iguaçu.
Neolan, militar do exército lotado no 26º Batalhão de Infantaria Paraquedista, na Vila Militar, confessou o crime. Além de ter sido esfaqueada na barriga, Liliane, que trabalhava como manicure, foi golpeada no pescoço e nas mãos. O feto que ela gerava também foi morto no ataque. Na argumentação da pena aplicada, o juiz Alexandre Guimarães Pinto, do Tribunal do Júri da Comarca de Nova Iguaçu/Mesquita, destacou a crueldade do crime cometido, desconsiderando, ainda, qualquer possibilidade de o condenado apelar em liberdade.

Leia também

Soldado do Exército assassinou ex-namorada a facadas no RJ.

— No caso, não há que o se falar sobre a fixação da pena-base do réu no mínimo legal, levando-se em conta a forma nitidamente covarde e extremamente violenta, ceifando, de maneira tão vil e infame, a vida da jovem vítima, sua namorada de infância, desde a pré-adolescência, com diversos golpes de faca.
O julgamento do militar faz parte da 2ª edição da Semana Nacional da Justiça pela Paz em Casa, realizada pelo Tribunal de Justiça do Estado do Rio e que se encerra nesta sexta-feira. O mutirão visa intensificar o combate à violência doméstica.
O GLOBO/montedo.com
Skip to content