Escolha uma Página
Com 814 pontos, Daniel Lana passou para o curso de medicina.
Ele era aluno da EpcAr, uma das principais escolas militares de Minas.
daniel lana1 (Foto: Daniel Lana/Arquivo Pessoal)
Daniel cursou o ensino médio na EpcAr entre 2011 e 2013 (Foto: Daniel Lana/Arquivo Pessoal)
Rafael Antunes
Do G1 Zona da Mata
Juiz de Fora (MH) – O mineiro Daniel Ferreira Lana e Silva, de 20 anos, estava prestes a entrar para a Aeronáutica, em 2013, depois de estudar em um dos principais colégios militares do país, a Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EpcAr), em Barbacena, no Campo das Vertentes. E ser aluno da EpcAr é enfrentar um processo seletivo pesado. Para se ter ideia, em 2014 foram mais de nove mil estudantes disputando as 180 vagas disponíveis, em uma bateria de testes que durou cerca de cinco meses, entre provas objetivas de diversas disciplinas, inspeção de saúde, teste físico, exame psicológico e concentração final. Depois de fazer os três anos do ensino fundamental na Escola Preparatória, Daniel jogou a toalha: deixou a carreira militar para trás e foi tentar o vestibular de medicina na Universidade Federal de Juiz de Fora(UFJF). Resultado: foi o aluno com a maior pontuação na instituição, somando 814,02 pontos no Sistema de Seleção Unificada (Sisu).
O segredo para o sucesso, o estudante entrega sem rodeios: disciplina. “O mais importante é a disciplina, o foco nos estudos. Você precisa ter vontade de passar e colocar isso na cabeça”, disse.
E persistência. Porque este não foi primeiro vestibular da UFJF que Daniel encarou. Em 2013, o estudante conseguiu fazer 722 na prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), cerca de 90 pontos a menos do que precisava para garantir uma das 180 vagas disponíveis para a faculdade de Medicina. “Ali, o que me atrapalhou foi a redação. O estilo cobrado no Enem era diferente do que eu estava acostumado a fazer na escola”, disse.
A tentativa frustrada só serviu para estimulá-lo ainda mais. A redação, que foi uma decepção em 2013, agora teve um papel importante na conquista do estudante. Daniel conseguiu tirar 960 pontos, ficando a 40 pontos da nota máxima. “Para melhorar meu texto, procurei um cursinho com algum professor apto a trabalhar essa parte. Isso foi o que me ajudou e o que moldou minha redação.” O agora universitário contou que precisou fazer vários textos para se acostumar a escrever para a prova. “Pelo menos uma vez por semana eu tinha que produzir um (texto). Às vezes, eu tinha que buscar temas de anos anteriores ou pesquisar assuntos atuais na internet”, lembrou.
Daniel cursou o ensino fundamental em uma escola particular de Barbacena. Depois, foi para uma escola pública, onde concluiu os dois primeiros anos do ensino médio. Quando passou para a EpcAr, ele começou o primeiro ano novamente. Mesmo tendo perdido dois anos em relação aos colegas da mesma idade, o jovem sabe que a disciplina militar foi essencial. “A rotina pesada sempre me ajudou muito, principalmente na disciplina. Você se acostuma a fazer tudo no horário certo, inclusive estudar”, afirmou.
Medicina nem sempre foi a primeira opção do estudante. Ele chegou a cogitar seguir carreira na Aeronáutica. “Eu entrei com dúvidas. Em alguns momentos, queria continuar, em outros não. O que pesou foi a falta de afinidade com a carreira em si. O que me ajudou a decidir foi a orientação vocacional que tive com uma psicóloga da escola”, disse.
Assim que se formou na EpcAr, em 2013, Daniel começou a estudar por conta própria. Em alguns momentos, priorizava os estudos a todo custo e esquecia do lazer e da diversão. No entanto, viu que não conseguia render a mais por causa disso. Em 2014, não quis repetir os erros. Fez questão de tirar algumas horas por dia para passar com seus pais e suas duas irmãs.
As matrículas dos novos alunos da UFJF acontecem nos dias 2 e 3 de fevereiro e variam de acordo com o curso, conforme pode ser verificado neste link. O início das aulas está previsto para a primeira semana de março.
G1/montedo.com
Skip to content