Escolha uma Página
Da BBC Autos
Em julho de 1945, a montadora Willys lançou no mercado uma versão comercial do jipe usado pelo Exército americano.
O sucesso dos modelos CJ-2A foi tão grande que o mercado passou a ser inundado por veículos como a Serie 1 da Land Rover (1948), o Type 181 “Thing” da Volkswagen (1968) e o Hummer H1 da GM (1992).
Associados a conquistas militares americanas, os carros ganharam impulso nos últimos anos ao serem comprados por celebridades milionárias, sobretudo do mundo do hip hop.
Abaixo, a BBC Autos selecionou alguns veículos de inspiração militar que estão à venda no mercado hoje (nenhum deles vem acompanhado de artilharia).
1. RENAULT SHERPA (FRANÇA)
O verde oliva do Exército foi transformado em cores vibrantes no Sherpa, da Renault. O veículo usado por soldados franceses e da Otan tem, em sua versão civil, mais a cara de um carro do Rali Dakar.
Ele está à venda no Oriente Médio, na África e na Rússia. O motor de 4,76 litros e quatro cilindradas é ensurdecedor. São seis marchas e tração nas quatro rodas – tudo por US$ 272 mil (cerca de R$ 700 mil).
2. GAZ TIGR (RÚSSIA)
Os russos garantem que a semelhança do Tigr com o americano Humvee não passa de uma coincidência.
O motor é de 5,9 litros, e o carro também com seis marchas e tração nas quatro rodas. Por dentro, o visual não é nada militar: bancos de couro, ar condicionado e um sistema de som potente.
Por US$ 110 mil (cerca de R$ 280 mil), o carro é quase uma “barganha” nesse mercado.
3. MERCEDES-BENZ G63 AMG 6×6 (ÁUSTRIA)
O Mercedes-Benz Geländewagen, também conhecido como G Class, existe há mais de três décadas no mercado.
Com seis rodas, o carro suporta quase qualquer tipo de terreno. Ele pode até andar em águas com até um metro de profundidade.
Mas poucos têm o privilégio de possuir um, já que as especificações técnicas desse veículo são ilegais em vários mercados (incluindo toda a América do Norte e todos os países com mão inglesa).
Possuir um desses Mercedes sai por US$ 523 mil (cerca de R$ 1,3 milhão).
4. PARAMOUNT MARAUDER (ÁFRICA DO SUL)
Dez toneladas de potência africana, o Marauder possui uma cabine protegida com dupla camada de metal, e resiste a praticamente qualquer tipo de disparo de arma leve. E também a uma ou outra mina terrestre, ao preço de US$ 485 mil (cerca de R$ 1,2 milhão).
5. POLARIS MV850 TERRAINARMOR EDITION (EUA)
Feito para evitar “balística inimiga, terreno difícil e outros obstáculos impedidores de missões”, o MV850, da americana Polaris Industries, é o primeiro veículo militar no mercado que usa pneus sem ar.
Os pneus TerrainArmor, da empresa Resilient Technologies, resiste a tiros de armas com calibre .50.
Os testes bem-sucedidos deste pneu em campos de batalha provavelmente levarão o Exército americano a investir no seu uso em outros veículos maiores, inclusive no próximo Hummer. O pequeno veículo, que mais parece um buggy, sai por US$ 15 mil (cerca de R$ 38 mil).
6. SUPACAT LRV 400 (REINO UNIDO)
O Qt Wildcat – antigamente conhecido como Bowler Wildcat – é um jipe ideal para terrenos difíceis. O carro tem velocidade de rali (chegando a 170 quilômetros por hora) e é usado por várias unidades militares que fazem patrulha em fronteiras.
As pesadas placas de metal contra artilharia são opcionais, e tiram um pouco do desempenho do carro, que custa US$ 250 mil (R$ 640 mil).
7. GO-PED KNIGHTRIDER (EUA/ ISRAEL)
Esse é o único modelo da lista da BBC Autos que não está à venda para civis, mas não é por falta de admiradores.
Um scooter para o campo de batalhas? Esse é o Knightrider, da empresa Go-Ped. Pode parecer um brinquedo de crianças, mas não se engane com as aparências.
Esse veículo foi desenhado para suportar terrenos difíceis a altas velocidades, com seus pneus soltos e suspensão resistente.
A bateria de polímero de lítio e o motor Torkinator fazem com que o veículo atinja velocidade de 30 quilômetros por hora e cruze um terreno de 40 quilômetros sem necessidade de recarga.
Então quem está usando esse veículo? Por ora, isso é mantido sob segredo. Acredita-se que cada unidade custa US$ 4,7 mil (cerca de R$ 12 mil), mas nem adianta procurar nas lojas. (R. A.)
BBC Brasil/montedo.com
Skip to content