Escolha uma Página
Vídeo mostra soldado do Exército sendo algemado à força por PMs de UPP
Jovem estava à paisana. Caso ocorreu no Morro Chapéu Mangueira, no Leme
Imagem mostra PM algemando soldado do Exército no chão no Morro Chapéu Mangueira – Reprodução / Internet
RUBEN BERTA
RIO — Um vídeo gravado por celular na última quarta-feira, que mostra uma abordagem de policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Morro Chapéu Mangueira, no Leme, vem se espalhando desde sexta-feira pelas redes sociais. As cenas mostram o rapaz, um soldado do Exército de 18 anos, morador da comunidade, que estava à paisana, sendo algemado à força pelos PMs. Ele tenta se desvencilhar, mas acaba sendo imobilizado no chão. No início das imagens, um policial aponta o dedo para o jovem e diz “eu te prendo, eu te prendo”. Em seguida, já agarrando o morador, ele completa: “Você vai algemado, você vai algemado, para você aprender!”. Três agentes fazem a imobilização.
O jovem foi procurado pelo GLOBO, mas preferiu não dar declarações sobre o caso. Ele revelou a amigos, porém, que já dentro do carro da PM que o conduziu para a delegacia, teria recebido ameaças, inclusive de morte. Ao contar que é militar, um sargento da UPP, segundo a versão dos amigos, teria pedido para ele prestar continência, mas o rapaz se recusou, alegando que naquele momento estava à paisana. Os policiais também teriam duvidado que o jovem é militar porque ele não estava com sua carteira de identificação no momento da abordagem. Durante o vídeo, também é possível ver que um PM tenta impedir a gravação das imagens.
Em nota, a comandante da UPP Chapéu Mangueira/Babilônia, tenente Paula Apulcro, dá outra versão, alegando que outros fatos teriam ocorrido antes da gravação das imagens: “Uma equipe policial da unidade estava em patrulhamento pela Ladeira Ary Barroso, no Morro Chapéu Mangueira, quando um soldado solicitou que um homem, de 18 anos, encostasse em um canto para ser revistado. O rapaz disse então que era da Brigada Paraquedista do Exército, que não aceitaria ser revistado e que o policial não tinha autoridade para realizar aquela abordagem nele. O soldado então pediu sua identificação de militar, mas ele disse que não se identificaria, pois não daria satisfação a um soldado e que só reconhece como militar os superiores dele”.
Também segundo a comandante da UPP, “o PM chamou o sargento, que chefiava a equipe, e explicou a situação. O sargento disse ao soldado que na esfera militar exigia-se respeito, mas ele foi ficando arredio e agressivo e, aumentando o tom de voz, começou a dizer que todos ali eram corruptos. Nesse instante, lhe foi dada voz de prisão por insubordinação. Ele tentou fugir dos policiais sendo necessário ser algemado para poder ser levado até a 12º DP (Copacabana), onde o caso foi registrado como desacato”.
Amigos do rapaz disseram que os PMs teriam feito a abordagem o acusando de ter publicado na internet imagens de agressões praticadas por policiais, o que foi negado pelo jovem. A abordagem ocorreu por volta das 17h30m de quarta-feira, quando o soldado estava voltando da autoescola. Nos últimos dias, ele estaria evitando sair de casa, com medo de sofrer represálias. Na 12ª DP, o morador também registrou queixa de agressão e de ameaça.
O GLOBO/montedo.com
Skip to content