Escolha uma Página

Exibindo _JON4621.JPG
A propósito da postagem “A MP do Mal na pauta do Senado: militar, você pode!”, um leitor do blog entrou em contato com o Senador Alvaro Dias (PSDB/PR). Abaixo, a resposta do senador:

Anônimo disse…

Resposta do Senador Alvaro Dias

Prezado Senhor
A prerrogativa de colocar qualquer matéria na Ordem do Dia para discussão ou votação é do presidente do Senado, no caso, o senador Renan Calheiros. Ele integra a base de apoio do governo do PT, que insiste em não prestigiar, como elas merecem as nossas Forças Armadas. A propósito de sua mensagem, permita-me dizer que eu não concordo com o tratamento que vem sendo dado às Forças Armadas. Chamo a atenção, particularmente, para um aspecto importante da questão militar, que é a penúria na qual a família dos militares está vivendo, uma situação humilhante. Não aprovo o tratamento que o governo do PT vem dando às Forças Armadas do País, com cortes constantes nos seus Orçamentos, a ponto de nem alimentação para os recrutas nos quartéis ser hoje oferecida. Sem se falar nos equipamentos obsoletos por absoluta falta de recursos para modernizá-los. Por que tal descaso quando a nova geração de militares nem sabe dos acontecimentos de 1964 e os que deles participaram ou estão na reserva ou já morreram? Nada, pois, justifica o injusto tratamento dado pelo governo do PT ás Forças Armadas do país. Infelizmente como oposição ao governo petista os meus apelos por justos salários aos militares não são ouvidos e como senador não tenho poderes para conceder aumentos. Essa é uma atribuição do Poder Executivo, em outras palavras, da presidente Dilma a quem compete encaminhar projeto de lei neste sentido. E ela, tal como seu antecessor e padrinho Lula, não está nem um pouco interessada em fazer justiça aos militares do Brasil. Se houvesse vontade política do governo, o projeto seria votado em regime de urgência. Por isso eu entendo que os militares ou seus familiares deveriam dirigir as suas queixas com mais ênfase aos senadores e deputados que integram a base de apoio à presidente Dilma e à própria presidente. Nós, da oposição, temos defendido justiça para com todos os integrantes das Forças Armadas, mas não somos ouvidos. Essa é a dura realidade. No link abaixo artigo de Ricardo Setti sobre o assunto.
Cordialmente,

Alvaro Dias

Sim! Eu sei que o senador é do PSDB.
Sim! Eu sei que a MP do Mal foi gestada justamente no governo de Fernando Henrique Cardoso, do…PSDB!
Sim! Eu sei que o senador está jogando para a torcida, fazendo de conta que seu partido não tem nada com isso. 
Sim! Eu sei  que, se Lula, Dilma e o PT não estão interessados em ‘fazer justiça aos militares do Brasil’ – e não estão!- tampouco os tucanos o estiveram enquanto foram governo.
Mas eu também sei que colocar ou não a MP na pauta de votação do Senado depende de seu presidente e dos senadores da base aliada. Aliás, na reunião de terça-feira com as lideranças da família militar, Renan Calheiros declarou: “Sabemos que a discussão aqui é sobre a retirada de direitos dos militares e não da inclusão de benesses. Vou discutir com o senador Paim uma maneira de trazermos esse projeto de volta às discussões”.
É duro depender de representantes dessa qualidade, mas é o que temos. Então, pressão neles! É isso ou aguardar pela ação dos chefes. Que, afinal – como todos sabemos – estão preocupados.


Skip to content