Escolha uma Página
Militares do Exército têm assistência médica em Feira de Santana
De acordo com a nota, os militares do Exército e seus dependentes, que residem em Feira de Santana contam com um serviço de assistência médica, o qual é prestado de várias maneiras.
Após a informação do 1º sargento da reserva remunerada do Exército e advogado, Cléber Ferreira Freitas, de que Militares do Exército, que trabalham no 35º Batalhão de Infantaria (35º BI), em Feira de Santana, e que contribuem para o Fusex (Fundo de Saúde do Exército), que funciona como um plano de saúde, estão há quase dois anos sem assistência médica, o Exército enviou uma nota esclarecendo a situação.
De acordo com a nota, os militares do Exército e seus dependentes, que residem em Feira de Santana contam com um serviço de assistência médica, o qual é prestado de várias maneiras. A nota esclarece que no quartel do 35º Batalhão de Infantaria estão à disposição da família militar, dois médicos clínicos geral, uma viatura ambulância e um serviço de home care, que permite um melhor acompanhamento e um melhor atendimento às necessidades médicas dos militares e seus dependentes.

Leia também:
Militares do Exército e dependentes estão sem assistência médica em Feira de Santana

Ainda segundo a nota, existe em Salvador, uma organização militar de saúde (hospital militar) em condições de atender os integrantes da família militar de Salvador e das outras guarnições do interior, inclusive Feira de Santana, em diversas especialidades como ortopedia, oftalmologia, cardiologia, gastroenterologia, cirurgia geral, ginecologia, pediatria, psiquiatria, dermatologia, otorrinolaringologia, fisioterapia, entre outras.
“Esse hospital dispõe de um laboratório de alta qualidade, unidade de terapia intensiva (UTI), pronto atendimento e outros serviços de interesse na área médica. Em Feira de Santana, os militares do exército e seus dependentes podem contar com o hospital Clériston Andrade, que se colocou à disposição para atendimentos em situações de urgência e emergência, além dos serviços disponíveis naquela unidade de saúde, diz a nota.
“Além disso, a fim de complementar e agilizar o atendimento de saúde aos militares de Feira de Santana e seus dependentes, o batalhão dispõe, mediante contrato, de várias Organizações Civis de Saúde (OCS) e Profissionais de Serviço Autônomo (PSA) em condições de prestar atendimento médico a esse pessoal. Atualmente existem em Feira de Santana, 18 empresas e profissionais autônomos realizando atendimento nas especialidades de oncologia, oftalologia, cardiologia, ortopedia, fisioterapia, pediatria, imagem, otorrinolaringologia, laboratório, maternidade, odontologia, entre outros”, afirma a nota.
A nota confirma que no momento, há outros contratos de prestação de serviços médicos que estão suspensos por divergência de valores nas tabelas exigidas pela diretoria de saúde e as exigidas pelas OCS/PSA e, por despesas elevadas em anos anteriores com tratamentos e internações prolongadas em UTI e diz que em relação aos contratos suspensos, o comando do batalhão está fazendo gestões no sentido de recuperar e ampliar, se possível, a quantidade de prestadores de serviço na área médica. (R. A.)
Acorda Cidade/monedo.com
Skip to content