Escolha uma Página
Soldado usou pistola 9 milímetros e está preso na Base Aérea da capital.
Caso é apurado em sigilo e testemunhas dizem ter visto discussão no café.
Crime parou atividades na base aérea de Rondônia (Foto: Assem Neto)
Crime parou atividades na base aérea de Rondônia (Foto: Assem Neto)
Assem Neto
Do G1 RO
Um soldado da Aeronáutica matou o colega de farda com três tiros no rosto, na manhã desta quarta-feira (12), em Porto Velho. A vítima, identificada como R. Oliveira tinha 22 anos e entrou na corporação em 2010. O soldado que efetuou os disparos, de 19 anos, tinha um ano de serviço militar. O crime aconteceu na guarita do Destacamento de Controle do Espaço Aéreo, localizado em frente ao Aeroporto Internacional Jorge Teixeira. Uma pistola 9 milímetros foi usada no crime.
Em nota a Base Aérea de Porto Velho (BAPV) afirma que “instaurou um Inquérito Policial Militar (IPM) para apurar as circunstâncias da ocorrência. Um Auto de Prisão em Flagrante foi efetuado e o militar acusado está detido na BAPV”. O inquérito corre sob sigilo, conforme previsto no Código de Processo Penal Militar.
Segundo testemunhas, os dois militares se desentenderam ainda durante o café da manhã por volta das 10h. Os dois não teriam se falado após o desentendimento, de acordo com um militar que preferiu não se identificar. “O Oliveira (vítima) foi deitar. O outro foi tirar serviço na guarita”, informou o militar.
Ao deixar a guarnição, no fim do plantão, a vítima teria usado o termo ‘morde na hora’, jargão usado pelos soldados em referência aos recrutas que ficam em pé, sob o sol, fazendo guarda na guarita. O soldado que fez os tiros interpretou como provocação e atirou três vezes contra a Oliveira, que teve morte instantânea.
O suspeito foi preso em flagrante. A Polícia Federal fez a perícia no corpo da vítima.
G1-montedo.com
Skip to content