Senado aprova atuação de médicos militares no SUS

Programa polêmico
Senado aprova atuação de médicos militares no SUS
Profissionais das Forças Armadas não podem acumular funções fora da área militar nas redes pública e particular de saúde
 
No dia em que o governo perdeu a primeira batalha do programa Mais Médicos no Congresso Nacional, sem conseguir instalar a comissão especial que vai analisar a Medida Provisória que cria a ação, o Senado aprovou por unanimidade uma proposta de emenda constitucional que permite a atuação de médicos militares no Sistema Único de Saúde (SUS).
Hoje, os profissionais das Forças Armadas não podem acumular funções fora da área militar nas redes pública e particular de saúde.
A intenção é que a PEC se some às iniciativas já tomadas pelo governo federal para tentar garantir a melhoria do atendimento à saúde com o Mais Médicos.
Segundo o Ministério da Defesa, hoje 3,8 mil militares atuam na área médica — 2,6 mil militares de carreira e 1,2 mil temporários, que podem atuar por até 8 anos. A ideia é que eles possam se somem aos 938 profissionais que já aderiram ao programa — apenas 6% da demanda existente hoje nos quadros da atenção básica do SUS. Também estão incluídos médicos da Polícia Militar e de Corpo de Bombeiros.
 
Leia também:
 
A emenda segue agora para a Câmara dos Deputados, onde o ministro da Saúde, Alexandre Padilha já pediu prioridade.
— Já conversei com o presidente da Câmara (deputado Henrique Eduardo Alves) para que, assim que chegue lá, vote o mais rápido possível — disse.
Com isso, os profissionais que já atuam em fronteiras e em cidades do interior passariam a exercer expediente duplo para atender à demanda por profissionais em regiões onde médicos civis não desejam atuar.
De acordo com o Ministério da Saúde, as mais de 3,5 mil cidades que aderiram ao programa ainda têm uma demanda de 14,5 mil médicos.
— Esses profissionais poderão atender pelo SUS por meio de contratos com prefeituras ou com os governos estaduais, mas não vão participar do edital de bolsa e da remuneração para os médicos brasileiros ou estrangeiros — afirmou o ministro. Leia mais.
ZERO HORA/montedo.com 

21 respostas

  1. Os quarteis e os hospitais militares estão com grande deficiência de médicos, como é que vão atuar no SUS?
    Enes vezes já deixei de ser atendido em hospitais militares por falta de médicos! E olha que pago caro por isso.
    Lucio Lucena do Blog "Saco Mucho"
    ADSUMUS!

  2. Não podem acumular funções fora da área militar nas redes pública e particular de saúde, mas para ir para o SUS sem ganhar um centavo a mais, rapidinho eles aprovaram!! Vão enfiando a faca aos poucos, logo mais todos os militares estarão sendo atendidos pelo SUS! Aguardem!!!

  3. SO FALTA MANDAREM ATENDER O SUS NAS DEPENDENCIAS MILITARES. JA VI MUITA COISA,VI ATE UM PUXA SACO "DIR" DE OMS PARAR O ATENDIMENTO AOS COM DIREITO PARA ATENDER OS "POBRES MENINOS E MENINAS" RECOLHIDOS POR DELITOS A UMA DELEGACIA DE POLICIA. NOS FOMOS ENTREGUES AO LIXO E O PIOR QUE TEM MUITA GENTE NA ATIVA QUE GOSTA E APLAUDE. HIENAS ESTÃO EM TODOS OS ANDARES.

  4. Esse governo Dilma só faz movimento para prejudicar os militares. Nos hospitais do exército o atendimento é tão precário quanto ao do SUS. Mas a nossa presidenta quer que os militares e seus familiares morram e em contrapartida os militares querem que ele e toda a corja corrupta vão para o inferno!

  5. Agora sim vai piorar o sistema de saúde do Exército. Canso de chegar no Hospital Militar, com hora marcada, e o médico militar ainda não chegou para trabalhar….. bom, pelo menos agora ele terá uma desculpa para o atraso…."estava atendendo no SUS".

  6. É isso aí milicada, vamos continuar votando nos PTralhas e Cia, brigando entre nós e estufando o peito cheio de orgulho pra falar que não nos metemos em política…
    Estamos no caminho certo!

  7. E a prioridade será para qual instituição: as FFAA ou conforme constituição e estatuto dos militares ou para o SUS ?
    No frigir dos ovos querem tomar os médicos das FFAA mas não vão remunerá-los com as bolsas financeiras previstas para os demais médicos. Ainda querem de graça. que caras de pau!!!!!

  8. HEHEHEHE…e mais uma vez os nossos "comandantes" vão abaixar a cabeça e mostrar o rabo…FORA A HIPOCRISIA…Os médicos militares, à muito tempo, JÁ ATENDEM FORA…INCLUSIVE OS HOSPITAIS MILITARES SÃO SEUS BICOS, POIS GANHAM DE 2 A 3 VEZES FORA!!!Mas se esse governo pensa que a classe médica militar é igual a classe combatente, que mete o rabinho entre as pernas e sai chorando…estão errados…DUVIDO O MÉDICO MILITAR IR ATENDER NO SUS DE GRAÇA…GANHANDO SEU MÍSERO SALÁRIO DE TENENTE OU CAPITÃO!!!PODE SENTAR E ESPERAR!!! KKKKKKKK

  9. as forças armadas possuem 01 médico para cada 200 usuários do sistema de saúde (EB, Aer e Mar) incluindo os ativos e dependentes. Vale ressaltar que muitos estão em gabinetes. O que faz o Estado pensar que estamos muito bem!

  10. Preparem-se para evasão dos médicos, nas FA…

    Já está difícil segura-los… agora ficou impossível…

    Eles faliram o SUS, agora vão falir o FUSEx

  11. Ninguém pode ser obrigado a trabalhar onde não quer. Isto fere princípios fundamentais e pétreos da Constituição (afinal, a escravidão terminou em 1888). Acredito que estão abrindo a POSSIBILIDADE dos médicos militares acumularem cargos públicos (1 no EB, outro no SUS), se for de sua CONVENIÊNCIA.

  12. Véio, na boa… do jeito que andam nossas FFAA tinha de ter PEC para todos os militares trabalharem em algum outro bico, como querem fazer com os médicos.

  13. O Senador Marcelo Crivella, licenciado no momento, preocupado com a evasão nos quadros de oficiais das Forças Armadas, dos médicos em especial, apresentou em 2011 uma PEC com a finalidade de reverter ou pelo menos diminuir o número daqueles que se demitiam. Para tal propôs que a legislação permitisse a acumulação de cargos por parte dos médicos militares. A PEC dormia numa das muitas gavetas do Senado Federal, talvez até abraçada à Lei de Remuneração dos Militares, que lá se encontra desde 2001, isto mesmo, 2001, quando o governo federal, ao perceber que o badalado programa Mais Médicos fazia água por todos os lados e naufragaria, decidiu desengavetá-lo e, a toque de caixa, aprová-lo. A expectativa é que os médicos militares abracem de corpo e alma a idéia de prestarem serviços, atendendo a população que mais precisa. Se esqueceram, os luminares, que, em muitas Guarnições Militares em locais extremos, onde só a Força Armada está presente, os médicos e todo o pessoal já cumpre este papel. Pesquisem aí e vejam quantos militares e dependentes dos mesmos, em especial esposas, se dedicam, sem qualquer remuneração a mais, a ensinar, por exemplo. Se esquecem, também, que as Forças Armadas, apesar de ainda não terem se pronunciado a respeito, não irão obrigar o médico militar a cumprir um papel que não lhe cabe. Afinal, todos somos livres para decidir pelos nossos destinos. Ainda. Porque se depender do Sr Padilha et caterva a turma terá que trabalhar em qualquer lugar de maneira impositiva.

  14. Srs, sinto verdadeiro nojo de nossos comandantes. Ainda bem que estou indo embora. O exército esta acabando com o beneplácito de nosso General Enzo. Não fala nada, não reage, aceita tudo…. Por que? Será que esse cargo vale mais que a essa situação que passamos? Ganhamos cada vez menos… A tropa ta desmotivada, sucateiada, sem perspectiva… Tudo isso General Enzo, com o seu apoio, com a sua omissao, graças a sua covardia, e com o seu apoio. Essa presidenta odeia a gente, tem raiva da família militar. E o nosso Comandante ainda elogiou a Dilma Terrorista na ordem do dia assim. " Nessa empreitada, temos contado com o apoio atento dos Poderes da República, com destaque especial para a Senhora Presidenta, Comandante Suprema das Forças Armadas, e o Senhor Ministro da Defesa" APOIO PARA QUE? VERGONHA!

  15. Falta medico nos nossos hospitais, nos postos. Agora que estamos lascados de vez… PARABENS COMANDANTE DO EXERCITO! Deve ter ganho um elogio da Presidenta, Comandanta em Chefa! A família militar que se dane.

  16. Todos os médicos do EB já acumulam cargos em órgãos públicos. Só faltava oficializar. Espero que não piore o atendimento nas OMS.

  17. Vergonha! Comandante do exercito por que aceita isso? Não tem respeito pelo subordinado? Não tem respeito pela família militar? Isso não vai te atingir general enzo, omisso!,pois Sua Alteza não tem mulher, não tem filhos.
    Por que aceita isso? Peca as contas e fique com o respeito de sua tropa! Ou será que ta com rabo preso? Só pode! Ninguém aceita tanta humilhação!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo