Acusado de pedofilia, oficial da reserva é preso no RS

Militar da reserva é suspeito de pedofilia em Cachoeira do Sul
Ele é acusado de acariciar uma estudante de 12 anos, mas nega o crime
Um oficial da reserva do Exército, de 60 anos, foi preso nesta terça-feira, 6, sob a suspeita de pedofilia em Cachoeira do Sul. Ele é acusado de acariciar o corpo de uma estudante de 12 anos, após dar uma carona de carro para a menina. O suposto abuso foi denunciado pela mãe da criança para a Polícia e ele teve a prisão preventiva decretada pela juíza Lilian Astrid Ritter.
O homem nega ter praticado o crime e alega não saber o motivo de estar sendo acusado pela menina. Por ser oficial do Exército, ele não foi recolhido para o Presídio Estadual de Cachoeira. Dois militares estiveram na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA), onde foi registrada a prisão, e o escoltaram para a cadeia do 3º Batalhão de Engenharia de Combate de Cachoeira.
gaz/montedo.com

5 respostas

  1. Bizú: Nunca dar carona para menores desacompanhados, tá cheio de gente querendo morder no salário do milico, indenização e coisas do gênero…Acordem

    Rosseau…

  2. Isso é a justiça do Brasil, sem materialidade alguma, baseado no que está escrito fica difícil entender a prisão preventiva. A palavra de um contra a do outro e o indivíduo é preso, defecaram na Constituição, o indivíduo não possui o direito ao contraditório.

  3. O que uma menina de 12 anos estava fazendo sozinha? Onde estavam os pais? É fácil acusar sem ter provas. Deveriam acionar o conselho tutelar e questionar os cuidados dos pais para com essa filha. Quem tem filho menor, tem a obrigação de acompanhar e saber todos os passos, se assim não o fizer estará negligenciando e sendo irresponsável. Se o acusado tem ou não culpa, é necessário investigar, mas prender apenas por uma denúncia? Então prenda-se a mãe da menina também, por suspeita de negligência e abandono.

  4. Segundo é corrente lá em Cachoeira, armaram um verdadeiro circo na delegacia, com fotógrafos e repórteres até de jornal de fora da cidade. Se o cara é suspeito, não poderiam ter feito isso.O homem foi chamado para prestar esclarecimentos e aí então recebeu voz de prisão. Mas a "imprensa" já sabia o que ia acontecer e, com certeza foi "convocada" por alguém, pois estavam de plantão esperando. Ou eles devem ter bola de cristal… E se esse militar for inocentado, como fica? Alguém lembra do caso da escolinha de S. Paulo? A Rede Globo destruiu vida do casal acusado e no final eles foram inocentados…Deve ter algo ou alguém mais por trás desse caso.Se no final da história ele for inocente vai ficar rico tirando indenização dos jornais,e talvez de mais algumas pessoas, mas e a sua reputação e as humilhações a que ele a a família foram expostos, como fica? Se efetivamente for culpado, aí sim, pau nele….muito pau nele….Mas só depois de provada sua culpa…

  5. Muito bem lembrado pelo comentarista das 14:54, o episódio da escolinha em São Paulo, fizeram um julgamento sumário e condenaram as pessoas moralmente sem nem antes investigar o caso. Destruíram a vida de pessoas sérias. No caso desse militar, obviamente que a imprensa já estava ávida de manchete por se tratar de um militar, e a polícia para mostrar serviço para a imprensa fez julgamento e prisão sumária.
    Só existe direitos humanos para aqueles que estão nas graças da imprensa. Alguém ousa levantar a voz para requerer direitos humanos para militar?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo