Entidades encaminham à Dilma resoluções da Audiência Pública no Senado

Comento:
A expressão ‘resoluções’ constante do documento é usada no sentido de ‘deliberações’ ou ‘propósitos’ e não como ‘atos ou intento de resolver’, que seria sua definição primeira.
Bom, cabe ressaltar sua importância, por consolidar as demandas apresentadas durante a audiência pública de 25 de março, a qual teve repercussão, mesmo que modesta, na mídia nacional.
Mas não abro mão de ser realista, mesmo sob o risco de atrair a ira de alguns companheiros que possam pensar que o evento em si tenha o condão de produzir resultados concretos. Não tem!
A audiência foi um passo importante? Claro que sim, até por que foi a primeira vez que as demandas dos militares foram discutidas publicamente, à margem dos comandos das três Forças, cuja preocupação, bem sabemos, está voltada muito mais para os bilionários (e necessários) investimentos na indústria de Defesa do que para as necessidades urgentes e inadiáveis da tropa.
Porém – voltando ao leito – se não forem promovidas ações para pressionar o governo no sentido de atender as demandas, o documento não passará de uma carta de boas intenções, fadada ao esquecimento.
Seria ingenuidade imaginar um governo ‘bonzinho’, concedendo benefícios aos militares apenas por reconhecimento ou gratidão. O que vale nesse jogo é a pressão política, fruto de uma estratégia bem articulada entre as entidades, que não podem colocar-se sob a tutela exclusiva do Senador Paulo Paim, guindado à condição de ‘Patrono Parlamentar da Causa dos Militares’. O Congresso Nacional tem centenas de parlamentares, muitos dos quais são sensíveis às necessidades da família militar e podem ser acionados igualmente. Lembrando da minha Cavalaria, consolidado o objetivo inicial, a hora é do aproveitamento do êxito, antes que o inimigo se reorganize.

18 respostas

  1. Sou do mesmo entendimento do dono do blog, pois não acredito que nossa Presidente seria tão boazinha conosco. Isso não vai levar a lugar nenhum, devido aos militares serem muito desunidos, ou será que algum Comandante falou sobre esses assuntos para seus Comandados? Se algum Cmt falou em forma, me avisem, pois duvido muito.

  2. Esqueceram de colocar que a tal aprovação dos 28,86% encontra-se no Ministério do Planejamento desde sua aprovação mais de 10 anos saindo de um setor para o outro retratando o pouco caso que fazem quando o pleito são os militares. Outro detalhe obscuro é que a medida provisória que trata de direitos dos militares encontra-se provisória, e não Lei regulamentada, por vários anos e que qualquer mudança tomada nessa medida provisória vai ter de abranger todos os militares que inclusive à época estavam na ativa.

  3. Por vários anos quem entrou na justiça pelos 28 % foi "fichado" no exército. Depois de alguns anos que os Cmt informaram que quem quisesse poderia entrar, aí o tempo já tinha quase esgotado. Os oficiais só pegaram carona dos praças nesta questão dos 28%.

  4. Antigamente a tropa era informada por seus comandantes do que acontecia em relação as aspirações da força com relação aos seus subordinados. Agora nem o INFORMEX de esclarecimento sobre a situação financeira, boatos, questões da mídia, etc…isso não tem mais.
    O ST não sabe nada, os sgt menos ainda e os cabos e soldados muito menos ainda.

  5. Poxa!!!!Não pediram a votação imediata da Medida Provisória 2.115, que é o que interessa mais aos militares no momento. Pare que eu quero descer…..

  6. Montedo, se puder, leia a reportagem de capa do correio braziliense "DESENCANTADA ELITE MILITAR APOSENTA A FARDA" deste domingo 07/04/2013, se puder reproduzir no seu blog, seria muito bom, para ser vista por todo os seu grande número de seguidores.

  7. No BE 14/2013, diz que o efetivo na ativa do EB, são:
    – Of de carreira (Cel a Ten) 17.951;
    – Of Temp 8.035;
    – ST/Sgt carreira 36.713;
    – Sgt QE 7.993; e
    – Sgt Temp 8.380.

    O efetivos total de ativos, inativos e pensionistas em Out 12 era: 646.663.

    1. Quantos desses utilizam a internet para falar dos problemas da classe ou seja dos problemas comuns ?
    2. Quantos desses possuem e-mail ?
    3. Quantos desses divulgam assuntos da caserna ?
    4. Quantos desses sabem utilizar (receber e enviar)um e-mail ?
    5. Quantos desses não são totalmente individualista?
    6. Quantos desses olham seus e-mails pelo menos uma vez por semana ?
    7. Quantos desses acessam os sites militares e divulgam notícias aos seus contatos ?

    RESPOSTA: Menos de 10% com certeza. Ai fica difícil ser mais do que somos !
    ANALISE OS COMPANHEIROS, COM QUEM CONVIVE AI NA SUA OM.

    Só sabem reclamar de tudo: dos colegas, dos superiores, criticar … cadê a iniciativa ? Participação ?

    Votam em militar ? Divulgam candidatos militares ?

  8. A PRESIDENTa JÁ ACATOU A DEMANDA QUE ESTÁ DIVIDAMENTE ARQUIVADA EM SUA PRÓPRIA E PARTICULAR GAVETA EM SUA MESA DE SEU GABINETE PARA FUTURA DELIBERAÇÃO.
    QUÁ QUÁ QUÁ QUÁ QUÁ QUÁ

    SÓ RINDO MESMO DE NOSSA DESGRAÇA.

    INFANTIL DAQUELE QUE ESPERAR QUE ESTE PLEITO SEJA SEQUER PONDERADO PELA SUPREMA E SUPERIOR DIGNATÁRIA EXMA MOR CUMPANHERA!

  9. Sr militar, que tal enviar essa resolução para todos os senadores ( em CCO )

    TEXTO:
    Solicito V. Exa. a possibilidade de apreciar o presente anexo e caso seja possível adotar as medidas necessárias visando a minimizar as necessidades da família militar

    [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected]

  10. Tem que haver pressão. Muita pressão, pois do contrário não seremos ouvidos.

    Essa "ajuda" 0,16 centavos é um ultraje, é como se ao passarmos por um mendigo cuspíssemos na cara dele e então déssemos 0,16 centavos à ele.

  11. INFELIZMENTE ESSE EXPEDIENTE É MAIS UMA ENROLAÇÃO PETRALHA INDEPENDENTE DA BOA VONTADE DO SENADOR. AUDIÊNCIAS, TRAMITAÇÃO, ESTUDOS E MAIS ESTUDOS, PECs, REAJUSTES EM PRESTAÇÃO E "SENSIBILIDADE DOS POLÍTICOS" TUDO ISSO SÃO ENROLAÇÕES E PROTELAÇÕES PETRALHAS PARA AMENIZAR A ANSIEDADE DOS MILITARES INCAUTOS E ACOMODADOS. UMA CLASSE DESUNIDA E DESPOLITIZADA COMO A NOSSA TEM´MAIS QUE SE FERRAR MESMO.

  12. Um bom começo para tentar ter voz seria formar uma associassão forte, principalmente de SGTs, já que são maioria, ir à luta, tentar mudar a legislação, mesmo sabendo que os Ofs do alto comando farão de tudo para isso não acontecer como já ocorreu anteriormente, para ter os grafuados come seus seviçais, em uma nítida distorção do que realmente é hierarquia. Em fim, devemos seguir o exemplo dos portugueses e outros países mais desenvolvidos. Os graduados tem que ser a vanguarda da mudança, não adianta esperar do comando, pois todos viram que nada vai mudar se depender deles.P.S: Um exemplo de como os Of superiores enxergam os graduados foi a ordem para tirar o nome dos mesmos do tal manifesto do clube militar, como se estes não fossem dignos de ter e maifestar suas opniões.

    SGT Major

  13. o bom de tudo é que confio nos chefes.

    "OS CHEFES ESTÃO ATENTOS, COISAS BOAS VÃO ACONTECER, SÓ NÃO ESTÃO AUTORIZADOS A CONTAR PARA TROPA."

  14. Bem, assiti a audiência pela TV e agora lendo a minuta que não vai nem ser analisada, deixaram de propor muita coisa. Porque não foi pedida a votação da MP do Mal que está sob responsabilidade do Senado, isso mesmo, quem está com a Medida provisória é o Senado e esta em uma mesma sala, mudando apenas de mesa, isso quando começamos a reclamar mas de concreto não é feito nada, pergunto porque o Sen Paulo Paim, não fala diretamente com o responsável por apreciar esta Medida Provisória pois esta com eles (senadores) a MP. Sem sair de lá a Presidencia não tem como homologar (e não estou a favor da presidência não). Olha a resposta de um deputado quando solicitado para apoiar a votação da MP:
    Sr.SALVADOR DE QUEIROZ ALMEIDA .'.
    Recebemos sua mensagem, na Ouvidoria Parlamentar da Câmara dos Deputados, solicitando, a todos os deputados do Rio de Janeiro que apreciem a Medida Provisória 2.215-10 que trata da remuneração dos militares das Forças Armadas.
    Em atenção a sua mensagem, respondemos que se trata de medida provisória anterior a emenda constitucional 32 e, nestes casos, o trâmite fica a cargo do Senado. A comissão mista, instalada em setembro de 2001, teve como relator o Senador Romeu Tuma. A proposição já recebeu vários ofícios tais como da Associação de Juízes Federais do Brasil, do deputado Paulo Piau (PMDB/MG) e telegrama dos sub-oficiais e sargentos da Força Aérea Brasileira solicitando a apreciação da matéria.
    O deputado Jair Bolsonaro (PP/RJ) cita na sua página na internet http://www.bolsonar.com.br/jair, na guia Perguntas Frequentes, que os direitos perdidos com a edição da MP 2.131 (atual MP 2.215-10) só serão restabelecidos com a votação dessa medida provisória e que a votação não tem prazo para ocorrer.
    Para acompanhar o trâmite da proposição, acesse a página do Senado e, em Atividade Legislativa, informe o número e ano da medida provisória.

    Atenciosamente,

    Assessoria da Ouvidoria Parlamentar
    Ouvidor-Geral Deputado Miguel Corrêa

    Ouvidoria da Câmara dos Deputados
    Palácio do Congresso Nacional
    Praça dos Três Poderes
    Brasília – DF
    CEP 70160-900
    Tel.: xyzwhijp 619 619.

    Então meus senhores porque o Sen Paulo Paim não procura saber onde realmente se encontra a MP e convida seus colegas a porem um final nesta novela.
    Será que há realmente interesse em nos ajudar ou somente ficar nos enrolando como já estão a mais de 10 anos.
    É dificil assim.

  15. Os Militares, Policiais Federais, Militares e Civis Não Fundam um Sindicato como os Trabalhadores da CUT? Seriam muito mais fortes.
    Na Greve da PM-Ba o Governo não teria força para enviar o Exercito para brigar irmãos contra irmãos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo