Escolha uma Página
Brasil mobiliza 7,5 mil militares nas fronteiras com Bolívia e Peru
O governo anunciou nesta terça-feira o início de uma vasta operação nas fronteiras com a Bolívia e o Peru, na qual participarão 7.500 soldados que, durante duas semanas, realizarão tarefas de combate ao narcotráfico e outras atividades ilícitas.
O ministro de Defesa, Celso Amorim, citado em nota divulgada por seu escritório, explicou que as autoridades do Peru e da Bolívia foram informadas previamente sobre a operação e que, inclusive, foram convidadas a enviar observadores no marco dos planos de cooperação fronteiriça que existem com ambos os países.
Segundo o comunicado, na Operação Ágata VI, as tropas terão apoio de caças-bombardeiros, helicópteros de combate, lanchas de patrulha e veículos blindados que serão deslocados ao longo de 4.216 km das fronteiras amazônicas com Peru e Bolívia.
As tropas serão desdobradas nos Estados do Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Rondônia e Acre, limítrofes com esses dois países, e além das tarefas referentes à segurança fronteiriça, também desenvolverão diversas ações sociais, sobretudo na área de saúde. A operação faz parte de um plano de segurança fronteiriça que o governo desenvolve desde o ano passado e será similar a uma realizada em agosto nos limites do País com o Uruguai, Argentina e Paraguai.
Segundo o Ministério da Defesa, a Operação Ágata VI será a última deste ano. Em 2013, devem ocorrer “pelo menos outras três” do mesmo tamanho, com “o objetivo de levar às fronteiras a presença do Estado brasileiro”.
Junto aos soldados, participarão da operação funcionários ligados à fiscalização, ao meio ambiente e ao povo indígena, que com apoio das Forças Armadas, irão averiguar possíveis atividades ilícitas nas áreas correspondentes.
Na operação realizada em agosto, nas fronteiras com o Uruguai, Argentina e Paraguai, as autoridades do Brasil apreenderam 880 kg de maconha, cocaína e outras drogas e também confiscaram 11.730 kg de explosivos.
Terra(EFE)/montedo.com
Skip to content