Escolha uma Página
Fuzileiros ocupam favela do Complexo da Maré para garantir segurança nas eleições
As principais ruas e vielas da Favela Fogo Cruzado, no Complexo da Maré, na zona norte da cidade, começaram a receber no início da tarde de hoje (1º) militares do 1º Batalhão de Infantaria de Fuzileiros Navais.
Nielmar de Oliveira
As principais ruas e vielas da Favela Fogo Cruzado, no Complexo da Maré, na zona norte da cidade, começaram a receber ontem à tarde militares do 1º Batalhão de Infantaria de Fuzileiros Navais. Cerca de 300 homens vão garantir a segurança das eleições na comunidade.
Tão logo a tropa ocupou a favela, 20 fiscais do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) deram início ao trabalho de retirada de placas e galhardetes de candidatos colocados irregularmente. A ação contou com as presenças do presidente do TRE-RJ, desembargador Luiz Zveiter, e do almirante Paulo Zuccaro, comandante da tropa de reforço da Marinha. De acordo com o presidente do TRE-RJ, a orientação é para que os fiscais reprimam tudo caracteriza propaganda irregular.
“A orientação é clara, reprimir a propaganda irregular e sair arrancando tudo que estiver irregular, esteja ela [a propaganda] onde estiver. Presa em poste, casas, muros, bares ou biroscas”, disse Zveiter.
Apesar da presença dos fuzileiros e dos fiscais do TRE-RJ, os moradores da Favela Fogo Cruzado não mudaram a sua rotina: bares, lanchonetes e biroscas continuaram funcionando normalmente. Nos cerca de 30 minutos em que a reportagem da Agência Brasil esteve no interior da favela, os fiscais retiraram grande quantidade de placas, galhardetes e cartazes colados a postes, casas e estabelecimentos comerciais de becos e vielas.
O almirante Paulo Zuccaro disse que a presença dos fuzileiros na comunidade obedece diretriz ministerial traçada em atendimento à solicitação do TRE. “Esta diretriz nos determina atuar inicialmente das 8h às 18h. Dentro deste período, segundo as necessidades do tribunal, são determinados períodos e locais para o apoio da tropa ao trabalho dos fiscais”, disse. A Marinha colocou à disposição da Justiça Eleitoral cerca de mil homens.
A ação das Forças Armadas e dos fiscais do TRE contou com o apoio de policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope), que deslocou dois blindados para o local. Amanhã (2), os fuzileiros serão deslocados para a comunidade do Timbau, também no Complexo da Maré, e em seguida para a Baixa do Sapateiro, Vila São João e Parque União. “É um conjunto de ações que foram analisadas e coordenadas de modo a que nós tenhamos a exata noção da força adequada para cada situação”, declarou Zuccaro.
A ação das Forças Armadas no combate à propaganda irregular e na garantia da segurança do eleitor e da fiscalização eleitoral começou esta manhã na Gardênia Azul, na zona oeste, comunidade controlada por milicianos. Na mesma região, a Favela do Muquiço também recebeu a presença de fuzileiros navais.
Ao longo da semana, as Forças Armadas estarão ocupando um total de seis áreas distintas nas cidades de São Gonçalo e Itaboraí, no Grande Rio; Campos e Macaé, no norte fluminense; e Cabo Frio e Rio das Ostras, na Região dos Lagos.
Segundo o almirante Zuccaro, a escolha obedeceu a “um critério básico determinado pelo TRE, que indicou localidades onde a situação do ponto de vista da irregularidade eleitoral estava mais caracterizada”.
Agência Brasil/montedo.com
Skip to content