Escolha uma Página
Homens do Exército ocupam favelas do Rio
Militares vão atuar no estado para garantir a segurança nas eleições
Dois mil homens do Exército vão patrulhar comunidades da Zona Oeste.

Janaína Carvalho
Militares entram nos carros para seguir em direção as comunidades (Foto: Foto: Janaina Carvalho/G1)
Militares entram nos carros para seguir em direção às comunidades (Foto: Foto: Janaina Carvalho/G1)
A comunidade Gardênia Azul, em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio, foi a primeira a receber as tropas do Exército. O local recebeu os militares porque é uma das áreas que têm registro da atuação de milícias, conforme informou o RJ TV 1ª Edição desta segunda-feira (1º).
Moradores esperam agora que a presença das tropas traga tranquilidade para o dia da votação. O exército vai circular na região para garantir que fiscais e juízes eleitorais fiscalizem a propaganda irregular e evitar que milicianos influenciem na escolha dos moradores.
A Gardênia Azul era considerada reduto eleitoral do ex-vereador Cristiano Girão. Ele foi preso em 2009, dentro da Câmara Municipal do Rio de Janeiro, acusado de chefiar a milícia que atuava em comunidades da Zona Oeste.
A medida do TRE é para evitar a influência do tráfico de drogas e das milícias na escolha dos moradores. Fiscais e juízes eleitorais vão percorrer as comunidades para reprimir propagandas irregulares
Saída das tropas
Por volta das 11h30 desta segunda-feira (1°), blindados e militares do Exército saíram da Vila Militar em direção as comunidades de Gardênia Azul, na Zona Oeste do Rio, e na favela do Muquiço. Nesta última comunidade, as tropas chegaram às 12h20. De acordo com o exército, o primeiro momento é de isolamento da área. Após essa fase, acontece a entrada efetiva dos militares na comunidade.
O presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), desembargador Luiz Zveiter, acompanhou a saída das tropas. “O Exército e a Marinha não estão vindo para ocupar o espaço da Segurança Púbica do estado. O objetivo é exclusivamente focado na área do Tribunal Regional Eleitoral. Já o combate à criminalidade será feito sendo feito pela Policia Militar e pela Polícia Civil, até com um resultado positivo para o Rio de Janeiro”, explicou o desembargador Zveiter.
Dois mil homens do Exército vão patrulhar comunidades não pacificadas da Zona Oeste e mil militares da Marinha estarão no Conjunto de Favelas da Maré, no subúrbio da cidade,também não tem unidades de polícia pacificadora. As tropas vão atuar das 8h até as 18h.
Cães vão ajudar  militares (Foto: GUTO MAIA/BRAZIL PHOTO PRESS/AE)
Cães ajudam os militares no patrulhamento
(Foto:Guto Maia/BrazilPhotoPrres/AE)
O patrulhamento na Zona Oeste começou pela Gardênia Azul e Muquiço, na segunda-feira (1º). Na terça (2), seguirá para Piraquê, Vila Sapê, Vila Vintém e Vila Cosmos; na quarta (3), é a vez do Terreirão, Rio das Pedras, Vila Kennedy e Barbante; na quinta (4), Anil, Tirol, Antares, Minha Deusa; na sexta (5), Muzema, Jardim Maravilha, Coreia e Carobinha; e sábado (6), Covanca, Caxangá, Sapo e Fumacê.
No Conjunto de Favelas da Maré, a segurança será feita nas comunidades Fogo Cruzado, na segunda-feira (1º). Na terça (2), seguirá para o Morro do Timbau; na quarta (3), Baixa do Sapateiro; na quinta (4), Nova Holanda; na sexta (5); Parque União; e sábado (6), Vila do João.
Várias tanques deixaram o quartel no final da manhã desta segunda-feira (01)  (Foto: Foto: Janaina Carvalho/G1)
Várias viaturas deixaram o quartel no final da manhã desta segunda-feira. (Foto: Foto: Janaina Carvalho/G1)
Centro de controle e proibição de celular
Durante a reunião do do Presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), Luiz Zveiter, com representantes da Secretaria de Segurança Pública (Seseg), polícias Militar, Civil, Federal, Rodoviária Federal, além da Marinha e do Exército, realizada no domingo (30), o desembargador Zveiter informou que a partir de sexta-feira (5), será inaugurado no prédio do TRE um centro de controle, que funcionará durante 24 horas até o término das eleições, no domingo (7).
“Este centro será controlado e monitorado pelas Forças Armadas e pelas corporações para garantir maior amplitude na segurança da cidade. Serão usados telões e também GPS para saber a localização dos carros. É um grande aparato”, disse Luiz Zveiter, que explicou ainda que o uso do celular será proibido nas cabines:
“Existe uma lei antiga que proibia, mas ela não tinha consequência. O indicativo que nós temos é que algumas pessoas são influenciadas para votar. O Tribunal resolveu, com base nessa lei, que aquele que tentar descumprir, pode ser preso pelo crime de desobediência, concluiu o presidente.
O blindado urutu do Exército chegou à Favela do Muquiço por volta das 12h20 desta segunda (01) (Foto: Foto: Janaina Carvalho/G1)
O blindado urutu do Exército chegou à Favela do Muquiço por volta das 12h20(Foto: Janaina Carvalho/G1)
Em outros sete municípios do estado – São Gonçalo, Cabo Frio, Itaboraí, Campos, Magé, Rio das Ostras e Macaé – as tropas atuarão apenas no domingo das eleições. A decisão do envio das tropas foi tomada na quinta-feira (27), em Brasília, e foi aceita na sexta-feira. Segundo o presidente do TRE-RJ, o acordo para atuação das tropas federais foi fechado, no fim da tarde desta sexta-feira, com o general Antonio Miotto, do Comando Militar do Leste (CML).
O horário de atuação das forças federais na capital do Rio de Janeiro integrou o conjunto de medidas aprovadas em sessão do TSE nesta quinta-feira (27). De acordo com o plano do TSE e do Ministério da Defesa, a presença das tropas das 8h às 18h visa garantir a normalidade do andamento das campanhas eleitorais e não se estenderá a ações de pacificação.
G1/montedo.com
Skip to content