Escolha uma Página
Treinamentos feitos por soldados envolvidos em incidente não eliminaram risco, segundo Exército
O tenente-coronel disse que os soldados, que entraram no Exército em agosto de 2011, receberam treinamentos – Foto: Malu Silveira/NE10
Malu Silveira
O Exército investiga a morte do soldado Leandro Henrique Silva do Nascimento, 19 anos, depois de ser baleado por um colega de trabalho enquanto os dois faziam a guarda patrimonial, no último sábado. A força militar lamentou a morte e disse, em coletiva de imprensa realizada na manhã desta segunda-feira (14), estar apoiando as duas famílias.
O Exército prestou homenagem ao soldado durante o seu enterro, na tarde desta segunda-feira, no Cemitério Parque das Flores, no bairro do Sancho, Zona Oeste do Recife. Segundo o tenente-coronel Keunny Raniere, chefe da seção de Comunicação Social do Comando Militar do Nordeste, as famílias serão ajudadas psicologica, judicial e espiritualmente.
“O exercito faz treinamentos constantes, mas incidentes podem acontecer. Quem lida com armas, lida com risco” – Tenente-coronel Keunny Raniere.
O comando do 4º Batalhão de Polícia do Exército instaurou inquérito para apurar as causas do incidente. Além disso, a investigação vai investigar quantos tiros foram disparados. A conclusão do inquérito deve acontecer em aproximadamente 40 dias, quando será encaminhado à Justiça Militar, que será responsável pelo julgamento. Veja o vídeo com o tenente-coronel:
Mesmo que a Polícia Civil de Pernambuco, através do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) realize uma investigação paralela, a apuração militar continuará, já que os envolvidos são dois soldados. De acordo com o tenente-coronel, nenhum indicativo de que o DHPP entrará no caso foi dado.
O CASO
Leandro e Lucas estavam a serviço no Edifício 19 de Abril, na Avenida Boa Viagem, na Zona Sul, por volta das 6h desse sábado. Uma pistola 9 milímetros teria disparado acidentalmente quando os dois brincavam. O prédio é moradia para generais e hospeda oficiais visitantes.
Os dois soldados entraram no Exército em agosto de 2011, através do serviço militar obrigatório. Lucas, que teria feito o disparo fatal que atingiu o abdómen de Leandro, está detido no 4º Batalhão de Polícia do Exército, à disposição da justiça. A vítima foi submetida a uma cirurgia no Hospital da Restauração, mas não resistiu e veio a óbito, por volta das 18h de sábado.
NE10/montedo.com
Skip to content