Escolha uma Página
Soldados passam mal em treinamento e vão parar na UTI
Mãe diz que houve negligência; filho passou mal, melhorou e voltou ao treinamento; ela só foi avisada quando o rapaz entrou na UTI
HELOÍSA GARCIA
Foto: Hédio Fazan / Dourados Agora
Mãe de soldado diz que o Exército foi negligente ao obrigar o filho a voltar para o acampamento depo
Dois soldados da 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada, Brigada Guaicurus em Dourados passaram mal durante treinamento e foram parar na UTI. Os rapazes tiveram problemas de saúde no primeiro dia do teste, na segunda-feira, mas os familiares só foram informados na noite de ontem.
O treinamento submete os recrutas a uma série de atividades físicas. Durante essa semana eles ficaram em um acampamento, no próprio Exército e se submeteram aos testes para receber a boina, na manhã de hoje. O rapaz teve hipotermia e os batimentos do coração, segundo a mãe, ficaram bem abaixo do normal. Leandro foi internado às pressas na UTI do Hospital Santa Rita por volta das 19h30 de ontem (26)

O caso é ainda mais grave com um outro rapaz, também chamado Leandro. Familiares dele não foram encontrados, mas informações apuradas pelo Dourados Agora dão conta que o quadro dele é mais grave. O rapaz teve parada cardíaca e falta de oxigênio no cérebro. Ele também foi internado às presas na noite desta quinta-feira.
Acompanhamento
O major Rocha Lima disse que a Brigada Guaicurus está dando toda a assistência necessária aos soldados e seus familiares. Informou também que o quadro clínico dos dois é estável e não corre risco de morte.
Segundo ele, o soldado Kublik teve o quadro clínico de saúde agravado durante o acampamento, diferente da versão da mãe do rapaz, que informou que o filho passou mal, foi atendido, melhorou e teve que voltar às atividades físicas. “No acampamento há uma equipe médica que atende os soltados quando for necessário”, disse o major.
Sobre o outro soldado também de nome Leandro na UTI, informou que seu problema de saúde foi antes de entrar para o acampamento. “Ele teve uma crise de convulsão na segunda-feira. Atendido, não passou pelo acampamento, porém ele voltou ter outra crise nessa quinta, onde encaminhamos ao hospital”, declarou o major.
Questionado se os soldados passam por exames antes do rigoroso teste de atividade física, o major informou que no ato do alistamento são assistidos por uma junta médica e se no quartel apresentarem algum problema de saúde aí sim são submetidos a exames detalhados.
O soldado Kublik, segundo a mãe, não estaria apto a realizar atividades físicas de grande intensidade, mesmo assim o filho foi para o acampamento, atividade de praxe a todo soldado que incorpora ao Exército.
A mãe não quer que o filho volte para a Brigada Guaicurus, mas segundo o major o rapaz deverá cumprir as obrigações militares durante um ano, conforme determina a lei.

Dourados Agora

Skip to content