Escolha uma Página
Em sua Ordem do Dia comemorativa ao Dia do Exército o General Enzo Peri fez algo inédito nos mais de cinco anos em que comanda a Força Terrestre: falou das dificuldades que as famílias dos militares estão enfrentando e pediu confiança na cadeia de comando e no fato de que as manifestações de entendimento das urgências dos militares -leia-se: questão salarial – serão traduzidas em atos concretos.

 

Estes trechos da fala do general podem ser conferidos a partir dos 4m40s:
“Por vocação, o soldado é despojado de si mesmo. […] Entretanto, por trás desse homem há uma família, o bem mais caro de todos nós, onde repousa seu coração e que precisa de condições compatíveis para viver com dignidade. Por tudo isso, o chefe militar precisa liderar esse soldado de vida espartana, atento às suas necessidades, preservando-lhe o entusiasmo, a disciplina e confiança. Sem isso, todo o módulo da Força se anula.
Soldados do EB de todos os postos e graduações, de ontem e de hoje, com ou sem farda:
Confiem na Política de Defesa Nacional e na Estratégia Nacional de Defesa do nosso Brasil.
Confiem na cadeia de comando em todos os níveis, sob a autoridade suprema da presidenta da República.
Confiem que as manifestações de entendimento das nossas urgências serão traduzidas em atos concretos.
Confiem na valorização da carreira que escolheram por vocação.
Confiem nos estímulos que recebem pelo seu profissionalismo.
Confiem que existe o tempo certo para semear, cultivar e colher.”
Não creio que o cauteloso Comandante do Exército se exporia dessa forma caso não houvesse alguma efetiva proposta de reajuste em andamento. Porém, isto é apenas uma suposição. É esperar para crer, afinal, a descrença já tomou conta dos milicos faz tempo.
Skip to content