Escolha uma Página
Exército se mobiliza para achar fuzil roubado e pede apoio da população
Capitão Coutinho Nascimento, do 16º Esquadrão de Cavalaria 
Mecanizado, ontem durante entrevista no exército.

Na noite de quinta-feira, por volta das 21:30, um fuzil carregado com 20 balas foi roubado do Exército de Francisco Beltrão (16º Esquadrão de Cavalaria Mecanizado). A ação foi feita por dois homens que estavam em uma moto. Eles pararam perto da guarita da subida Av. Júlio Assis Cavalheiro e, com uma pistola, renderam o sentinela, que se aproximou imprudentemente do muro, e que então foi obrigado a jogar o fuzil para a calçada.

Em seguida os motoqueiros fugiram em direção ao aeroporto, sem serem identificados pelas câmeras de segurança. Naquele momento havia confraternização no clubinho militar (no mês que vem mais militares do Exército de Beltrão vão na missão de paz do Haiti). Em seguida foi dado o alarme e todos cessaram as festas e foram ao trabalho, atrás dos criminosos. A cidade foi fechada e a percepção é de que o fuzil não tenha saído do município.
Ontem no final da manhã o capitão Coutinho Nascimento, comandante do Esquadrão, deu entrevista coletiva e pediu o apoio da população para a recuperação da arma. “O procedimento do soldado não foi correto”, disse. Ele afirmou também que abrirá um inquérito militar, que terá 40 dias de duração, a fim de descobrir o que está por trás desse crime. Com autorização, todos os sigilos telefônicos, por exemplo, serão averiguados.
“O fuzil está no município e nós vamos achá-lo”, reiterou. O capitão afirmou que até que o FAL (Fuzil Automático Leve, com alcance de tiro de 600 metros) não seja encontrado o Exército estará 24 horas por dia nas ruas de Francisco Beltrão. “Temos apoio de outras forças também”, acrescentou, referindo-se às policias Civil e Militar, aos Bombeiros e à Polícia Federal que estará na cidade.
“Mas pedimos para a população nos avisar de qualquer suspeita, uma arma dessa na mão de bandido é perigo para todo mundo.” O capitão deu os telefones que podem ser contactados, caso alguém tenha alguma pista sobre o crime: 3524-5453 e 3524-4441. O sigilo da informação é garantido.
Calcula-se que no mercado negro um FAL esteja na faixa de R$ 5 mil.
Jornal de Beltrão/montedo.com

Skip to content