Escolha uma Página
Mochila big brother e câmera altamente resistente serão usadas em patrulhamento

BRUNO MENEZES
General Tomás mostra a câmera que transmitirá imagens para Centro de Operações da Força de Pacificão | Foto: Paulo Araújo / Agência O Dia
Os complexos do Alemão e da Penha, na Zona Norte do Rio, serão transformados num centro de testes de equipamentos eletrônicos voltados para a defesa e a segurança pública. Hoje, militares do Exército que formam a Força de Pacificação vão testar duas câmeras especiais.
Uma delas foi apresentada ontem à tarde ao comandante da Força de Pacificação, general Tomás Miguel Miné Ribeiro Paiva. O equipamento consiste apenas numa câmera, extremamente resistente e leve, com uma antena acoplada ao corpo da máquina e que transmite as imagens por Wi-Fi, ou via satélite.
“Se, numa situação de crise, as autoridades quiserem autorizar alguma ação, por exemplo, esse é o equipamento ideal, já que as cenas podem ser vistas em até 30 receptores diferentes, em qualquer lugar do mundo. Exemplo: se quisermos que a presidenta Dilma Rousseff, que hoje (ontem) está na Índia, veja alguma imagem, podemos mostrar a ela através dessa câmera”, explica Marcelo Fernandes, diretor de operações da Tesacom, empresa responsável pelo equipamento.
A câmera ‘big brother’, como O DIA antecipou no dia 18, será usada por um soldado para patrulhar os becos da comunidade. Com ajuda de outros equipamentos numa mochila, ela consegue transmitir as imagens para o Centro de Operações, na sede da Força de Pacificação — o local conta com TV de 42 polegadas, computadores e mapas da região.
Para o general Tomás Paiva, os testes de novos equipamentos mostram o interesse em estruturar cada vez mais as forças de segurança e manter os programas de pacificação. Segundo ele, os equipamentos testados no Alemão poderão ser empregados até no policiamento das fronteiras do País. “O investimento é importante para todo o Brasil. Assim, podemos definir melhor nossas ações e aumentar a integração e a comunicação entre as forças de segurança, um dos pontos que precisa melhorar”, avaliou.
Imagens do Exército mostram crianças hostilizando tropa no Alemão | Foto: Reprodução de vídeo
Usada na Amazônia
A tecnologia canadense da câmera permite que o operador se comunique em tempo real com os receptores da imagem através de microfones embutidos. De acordo com os técnicos da fabricante do equipamento, a Librestream (como ele é batizada), é muito utilizada por pesquisadores na Amazônia, já que na floresta não há sinal de Internet.
“Ela também permite que seja desabilitada a gravação de imagens no equipamento, evitando quebra de segredos industriais e permitindo o registro das cenas no Centro de Operações”, explica Marcelo.
Soldados hostilizados
Imagens feitas por militares têm permitido o planejamento de ações do Exército para manter a paz nas comunidades. Cenas de crianças hostilizando as tropas, por exemplo, motivaram o comando da pacificação a pedir que a Defensoria Pública e Conselhos Tutelares promovam operações para retirar os menores das ruas daquelas favelas.
“Criança com menos de 10 anos na rua de madrugada, para mim, está abandonada”, diz o general Tomás. Nas últimas três semanas foram registradas novas cenas de venda de drogas nos complexos. Uma delas, na localidade do Areal.
O Dia Online/montedo.com
Skip to content