Escolha uma Página
Recrutas da Aeronáutica são obrigados a comprar enxoval para formação
Novatos que ingressam no curso de formação da Força têm que adquirir material escolar e peças de vestuário anteriormente pagas pela instituição. Exigência fere o Estatuto dos Militares
Guilherme Amado
Contrariando o que está previsto no Estatuto dos Militares, a Aeronáutica passou a exigir que os recrutas levem seu próprio enxoval para ingressar no Curso de Formação de Soldados. Num documento a que o Correio teve acesso, o Batalhão de Infantaria Especial de Brasília (Binfae) determina que os futuros soldados providenciem eles mesmos itens de material escolar e de vestuário. Segundo os recrutas, a prática estaria dificultando o ingresso nas Forças Armadas.

Leia também:Recruta do Exército no IME precisa levar ‘enxoval’

Sindicância e MPM investigam caso do enxoval dos recrutas do IME

De toalha branca a pares de tênis, o custo com o enxoval exigido pelo Binfae é de, no mínimo, R$ 500. Segundo o Estatuto dos Militares, lei que rege o funcionamento das Forças Armadas, seus direitos e deveres, caberia à Aeronáutica fornecer esse tipo de material. “Tem muito colega de família mais pobre que desistiu por causa dessa obrigatoriedade. É um gasto grande que temos e não é todo mundo que tem bala na agulha para isso”, criticou um recruta, que pediu anonimato. “Isso tem acontecido muito, não só na Aeronáutica. Cada vez mais, somos nós que temos que garantir as nossas condições de trabalho”, afirmou outro soldado.
Correio Braziliense/montedo.com
Skip to content