Escolha uma Página
Incidente ocorreu na província de Kandahar, no Sul do país
Crédito: Mamoon Durrani / AFP / CP 

CABUL – Um soldado americano matou 16 civis ao sair de sua base e abrir fogo contra afegãos na província de Kandahar, reduto talibã no sul do Afeganistão, indicaram neste domingo autoridades e um jornalista da AFP.

“Eu entrei em três casas e contei 16 mortos, incluindo crianças, mulheres e idosos”, disse o jornalista da AFP.
“Em uma casa, havia dez pessoas, entre elas mulheres e crianças, que haviam sido mortas e queimadas em um cômodo. Uma outra mulher estava caída, morta, na entrada da casa”, contou.
“Vi pelo menos duas crianças, de 2 ou 3 anos, que estavam queimadas”, afirmou o correspondente da AFP.
“Em uma outra casa”, situada em uma segunda aldeia, “quatro pessoas estavam mortas. Vi seus corpos caídos em um cômodo. Havia dois homens idosos, uma criança e uma mulher”, narrou o jornalista da AFP, que também viu outro cadáver em uma terceira casa.
“Minha casa foi atacada. Perdi quatro membros da minha família”, declarou Haji Sayed Khan, enquanto Haji Samad indicava que membros de sua família também haviam sido mortos.
A Isaf, força armada da Otan, reconheceu em um comunicado transmitido por volta das 16h00 locais, ou seja, 13 horas depois dos fatos, a existência de mortos civis afegãos.
Neste domingo, por volta das 03h00 da manhã (sábado às 20h30 de Brasília), “um soldado deixou sua base e começou a atirar. (Depois) ele voltou e foi colocado em detenção”, indicou uma autoridade ocidental.
“Um militar americano foi detido devido ao incidente que deixou vítimas civis”, indicou a Isaf em um comunicado, indicando que “lamenta profundamente o incidente”.
France Presse, via Correio Braziliense/montedo.com
Skip to content