Escolha uma Página

Batalha de Stalingrado

A Batalha de Stalingrado foi uma operação militar conduzida pelos alemães e seus aliados contra as forças russas pela posse da cidade de Stalingrado (atual Volgogrado), às margens do rio Volga, na antiga União Soviética, entre 17 de julho de 1942 e 2 de fevereiro de 1943, durante a Segunda Guerra Mundial. A batalha foi o ponto de virada na frente leste da guerra, marcando o limite da expansão alemã no território soviético e é considerada a maior e mais sangrenta batalha de toda a História, causando a morte e ferimentos em cerca de dois milhões de soldados e civis.
  • Forças
  • Russos
  • 1.143.500 soldados russos
  • Eixo
  •  700 mil soldados do (incluindo 400 mil alemães)
  • Baixas
  • Russos
  • 1.129.619 (mortos, feridos ou desaparecidos), com cerca de 40 mil civis
  • Eixo
  • 750 mil soldados (mortos, feridos ou desaparecidos)
  • 91 mil prisioneiros

Marcada por sua extrema brutalidade e desrespeito às perdas militares e civis de ambos os lados, a ofensiva alemã sobre a cidade de Stalingrado, a batalha dentro da cidade e a contra-ofensiva soviética que cercou e destruiu todo o 6º Exército alemão e outras forças do Eixo, foi a segunda derrota em larga escala da Alemanha nazista na Segunda Guerra Mundial e a mais decisiva; a partir daí, a ofensiva passou totalmente para as mãos dos soviéticos até a vitória final contra o Terceiro Reich, em 8 de maio de 1945.

Até 1925, “Stalingrado” ou “Estalinegrado”, chamava-se “Tsaritsyn”, e desde 1961 tem o nome de Volgogrado.
Com a mudança de nome, a nomenclatura do memorial dedicado aos defensores da cidade também mudou, mas em 2004, o presidente Vladimir Putin autorizou a mudança da nomenclatura, que hoje encontra-se novamente como Stalingrado.

Skip to content