Escolha uma Página
‘O Haiti não vai invadir o Brasil’, diz Celso Amorim
Ministro cumpre agenda em Manaus antes de embarcar para o Haiti
O Ministro da Defesa, Celso Amorim, visitou nesta segunda-feira (30) o Comando Militar da Amazônia (CMA), na Zona Oeste de Manaus. A visita faz parte de uma parada técnica na viagem do Ministro ao Haiti, onde o Brasil mantém missão de paz.
Pela manhã, o político foi recebido no Quartel-General do CMA. No local, ele assistiu à palestra do comandante Militar da Amazônia, o General de Exército Eduardo Villas Bôas e do 2º Grupamento de Engenharia, onde foram apresentadas obras de engenharia militar, incluindo lanchas para patrulhamento nas fronteiras.
O Ministro afirmou que a imigração em grande número de haitianos para o Brasil não é um problema de Defesa. “Essa não é uma tarefa para a Defesa, afinal, o Haiti não vai invadir o Brasil. Pode ser que tenhamos um problema humanitário de haitianos que precisem ficar aqui, mas aí temos que saber lidar com a situação. Devemos ter atenção para implementar os direitos humanos sem esquecer das nossas capacidades”, disse Amorim.
Amorim também destacou a importância do Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (Sisfron) para o trabalho nessas regiões do país. “É um programa que vai permitir agregar meios tecnológicos à defesa e dar substância à nossa presença nas fronteiras. Existem ameaças que estão se adensando, não de outros países, mas do crime internacional e até de brasileiros que usam as fronteiras para cometer atos ilícitos”, explicou o Ministro.
Para ele a distância dificulta o trabalho de fiscalização. “Me impressionei com a enormidade do problema, e um deles é justamente a distância entre um pelotão de fronteira e outro. Temos em Roraima um pelotão que é distante mil quilômetro de outro. Com isso, percebemos que é cada vez mais fundamental um apoio logístico e tecnológico para o cumprimento das tarefas”.
Sisfron
O Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras é um projeto do Exército brasileiro orçado em R$ 10 bilhões que será implantado em três etapas, com conclusão prevista para 2019. O programa abrange as fronteiras brasileiras, desde a cidade de Oiapoque, no Amapá, até Uruguaiana, no Rio Grande do Sul e inclui a modernização dos equipamentos eletrônicos, ampliação da frota terrestre e dos Pelotões Especiais de Fronteira (PEF) que passarão de 21 para 49, e servirão como base operacional para o projeto.
Agenda do Ministro
Nesta terça-feira (31), o ministro visitará o Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS), na Zona Oeste de Manaus, antes de embarcar rumo ao Haiti onde encontrará a Presidente Dilma Rousseff para visita às tropas do Exército Brasileiro que atuam na Força de Paz. 
G1/montedo.com
Skip to content