Escolha uma Página
PF e Exército na busca de ossada humana
Foto: FRONTEIRA AGORA
Máquinas do Exército e da Prefeitura de Paranhos foram utilizadas na escavação

Uma equipe da Policia Federal de Naviraí (MS), em cumprimento a mandado de busca expedido pela Justiça federal de Ponta Porã – com apoio de militares e equipamentos do Exercito Brasileiro – executou operação que durou sete dias fazendo escavações em vários locais pré-definidos por investigações, no interior da Fazenda São Luiz, em Paranhos, onde há uma comunidade indígena denominada Ypo’i. Além da equipe da PF atuaram ainda 18 homens do Exército Brasileiro e utilizadas duas retro-escavadeiras (uma do Exército e outra da Prefeitura Municipal).

Na região que esta sob litígio, segundo o Ministério Público Federal já houve diversos enfrentamentos entre indígenas e seguranças de pecuaristas da região e em um deles dois professores guaranis, Jenivaldo Vera e Rolindo Vera desapareceram em outubro 2009 e até agora apenas o corpo de Jenivaldo foi encontrado.
Ministério Público Federal investiga ataque de pistoleiros contra índios em Amambai HOMICÍDIO
Rapaz é baleado em sua residência em Paranhos
A Polícia Civil de Paranhos encontrou um corpo com marcas de tiros no peito, boiando em um rio perto do local do conflito no dia 11 de novembro de 2009 e identificou-o como sendo do indígena Genivaldo Vera.
Segundo o delegado à época, Valter Guelssi, após ter ouvido sete depoimentos na delegacia em Paranhos, disse que o pai, Bernado Vera, e outros seis indigenas, viram as fotos tiradas pela Polícia e confirmaram ser o corpo de Genivaldo.
Escavação
Ao concluir os trabalhos,os policiais e soldados do Exército taparam os buracos ontem e neste domingo (27) e informaram não terem encontrado nenhum vestígios de ossada humana na região onde foi realizada a operação> Como o inquérito está sob segredo de justiça, a equipe da PF não deu mais detalhes a cerca do caso.
FRONTEIRA AGORA/montedo.com
Skip to content