Escolha uma Página
Primeiro militar gay se casa nos EUA após fim de proibição
O tenente da Marinha americana Gary Ross (à direita) e o civil
Dan Swezy
se casaram em Vermont – Foto: AP
DUXBURY, Vermont (EUA) – Quando o tenente da Marinha Gary Ross, de 33 anos, e seu parceiro Dan Swezy, um civil de 49 anos, buscaram um lugar para se casar escolheram Vermont, em parte porque é um estado com o fuso horário do leste dos Estados Unidos.
Desta forma, os dois homens se casaram no primeiro minuto desta terça-feira, quando se anulou formalmente a chamada política do “Don’t ask, don’t tell” (Não pergunte, não diga), que proibia a participação de membros abertamente gays nas forças armadas. Logo após a meia-note, se casou o par que estava unido há 11 anos.
– Foi uma bonita cerimônia. As emoções realmente me chegaram… mas finalmente é oficial – disse Ross.
Horas antes da mudança entrar em vigor à meia-noite desta terça, os militares americanos também faziam os preparativos finais para esta história mudança de política.
O Pentágono anunciou que já aceitava solicitações de candidatos abertamente homossexuais, mas os funcionários disseram que esperariam um dia antes começar a revisá-las.
Ross e Dan Swezy viajaram do Arizona, onde vivem, para se casar em Vermont, o primeiro lugar que permitiu aos homossexuais formalizar uniões civis e um dos seis estados que legalizaram o casamento entre pessoas do mesmo sexo.
Ross vestiu seu uniforme de gala para a cerimônia que começou às 23h45m de segunda-feira (horário local) em Moose Meadow Lodge, em uma cabana de madeira em Duxbury, em Vermont, montada sobre uma montanha a 24 quilômetros a noroeste de Montpelier.

O GLOBO

Skip to content