Escolha uma Página
Exército participará de obras em estradas na fronteira, informa o Dnit
O governo federal pretende promover o “emprego maciço” do Exército nas obras de construção e manutenção de estradas nas regiões da Amazônia que estão próximas a países vizinhos. A intenção foi anunciada pelo diretor-executivo do Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (Dnit), Tarcísio Gomes de Freitas, durante audiência pública promovida ontem pela Subcomissão da Amazônia e da Faixa de Fronteira, ligada à Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE). – Tarcísio admitiu que em regiões mais desenvolvidas e próximas de grandes centros existe uma tendência de redução de uso dos serviços de engenharia do Exército em obras públicas, uma vez que essas obras podem ser feitas por empresas privadas.
Ele lembrou, porém, que existem situações em que o recurso ao auxílio dos militares faz mais sentido. Este seria o caso de uma rodovia que liga São Gabriel da Cachoeira (AM) a Cucuí (AM), na fronteira tríplice com Venezuela e Colômbia. A rodovia une São Gabriel aos pelotões de fronteira, e o Exército tem tido dificuldades na manutenção do trecho, que ele localiza na área do Parque da Serra da Neblina.
O presidente da subcomissão, senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR), concordou com a necessidade do emprego de tropas nas áreas de fronteira. “Em outros estados a maior competitividade das empresas resolve, mas nas regiões de fronteira os batalhões são indispensáveis. Mas esses batalhões não funcionarão sem recursos humanos e financeiros. O programa Calha Norte só existe porque destinamos recursos a ele por meio de emendas parlamentares.”
Agência Senado
Skip to content