Escolha uma Página
Dilma e Pezão participam de entrega de espadins na Aman
A presidenta Dilma Rousseff e o governador em exercício, Luiz Fernando Pezão, participaram na manhã deste sábado da cerimônia de entrega dos 441 espadins da turma do bicentenário da Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), em Resende, na região do Médio Paraíba. Durante a cerimônia ela lembrou a excelência da formação militar, preparando os jovens para o patrulhamento das fronteiras, a participação na pacificação das comunidades e no socorro a vítimas de tragédias, como a da Região Serrana, no início do ano. 
Com a presença do ministro da Defesa, embaixador Celso Amorim; e dos comandantes da Marinha, almirante Julio Soares de Moura Neto; da Aeronáutica, Juniti Saito; e do estado-maior conjunto das Forças Armadas, José Carlos de Nardi, ela entregou o espadim a Pedro Luiz Vieira Neves, de 17 anos, cadete que mais se destacou no curso. Para a presidente, a participação de dois estudantes de Moçambique, dois de Angola, um da Guiana Inglesa e um do Peru reforça a integração dos países na construção de um futuro melhor. 
– É uma honra participar dessa cerimônia, entregando o espadim, símbolo da honra militar a esses jovens, que reforçarão as Forças Armadas brasileiras em sua missão mais nobre, a de proteger o nosso povo. Em breve vocês estarão fazendo um trabalho exemplar na defesa de nossas fronteiras, de nossas florestas, das nossas riquezas, na pacificação de comunidades e na ajuda a vítimas de grandes catástrofes – afirmou Dilma. 
A Academia Militar das Agulhas Negras teve início com a chegada da família real ao Brasil, em 1808, quando foi criada a Academia Real Militar, em 1810. A transferência da Escola Militar para Resende ocorreu em 1944, na busca por um maior espaço físico e melhor localização geoestratégica. Em 1951 foi assinado o decreto transformando a Escola Militar de Resende em Academia Militar das Agulhas Negras. Todos os anos concluem o curso cerca de 430 aspirantes a oficial, que são distribuídos por vários pontos do país e reforçam as Forças Armadas de países amigos, como os seis cadetes desse ano.
Jornal do Brasil (foto: R7)
Skip to content