Escolha uma Página

Polícia deve ouvir soldado que estava na guarita de quartel onde jovem morreu em PE
Ele é suspeito de ter facilitado a entrada das jovens no dia do crime 
A polícia deve ouvir um soldado que estava na guarita do quartel da FAB (Força Aérea Brasileira), em Recife (PE) no dia em que uma estudante de 20 anos morreu baleada dentro do Pama (Parque de Material Aeronáutico), no dia 7 de agosto. Ele é suspeito de ter facilitado a entrada das jovens no local. 
De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Civil, o delegado responsável pelo caso Igor Leite, poderá ouvir o soldado nesta segunda-feira (15), mas aguarda alguns resultados da perícia que poderão adiar o depoimento. 
Os três soldados envolvidos no caso foram ouvidos na sexta-feira (12). O delegado disse que os suspeitos entraram em contradição em seus depoimentos e serão indiciados por homicídio culposo junto com a amiga que teria efetuado o disparo. Leite afirmou ainda que, além dos militares, as duas jovens que estavam no quartel deverão responder por fraude processual por terem alterado a cena do crime. 
Outros soldados que estavam no quartel no dia ainda deverão ser ouvidos pelo delegado, que ainda não concluiu as investigações. O inquérito tem o limite máximo de 30 dias para ser concluído a partir da data do crime. 
Na quinta-feira (11), ele ouviu os pais de Monique. Duas amigas que estavam com a vítima na hora do crime prestaram depoimento na quarta-feira (10). Tanto os soldados quanto as duas mulheres devem responder por fraude processual. Uma das amigas e um dos militares também devem responder por homicídio. 
Segundo a polícia, as mulheres disseram, em depoimento, que após o disparo que atingiu Monique os soldados limparam o local do crime e tentaram forjar um socorro à vítima.
O crime
O corpo de Monique foi encontrado com um tiro na cabeça dentro das instalações do Hotel de Trânsito, localizado no parque de materiais da Aeronáutica em Recife. O comando da instituição abriu sindicância para apurar os fatos e determinou a prisão dos três soldados envolvidos.
De acordo com informações do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa), a vítima levou um tiro de pistola 9 mm no rosto e morreu antes de receber socorro. No quarto onde o corpo foi encontrado, havia vestígios de bebida alcoólica. 
Monique e duas amigas, ainda segundo a polícia, teriam ido ao quartel a convite dos soldados, cujas identidades estão sendo mantidas em sigilo. As investigações preliminares indicam que a vítima teria sido atingida durante uma brincadeira de uma das amigas.
Além da morte, o inquérito irá investigar como as três mulheres tiveram acesso ao quartel. De acordo com parentes das garotas, elas haviam saído de casa para ir a uma festa em um clube no último domingo. Antes de chegarem ao local, no entanto, a vítima teria recebido um telefonema de um dos soldados, convidando o grupo para ir até o Hotel de Trânsito.
Em nota oficial, o Departamento de Polícia Federal informou que realizou uma perícia técnica para averiguar as circunstâncias da ocorrência. Os autos serão enviados à Justiça Militar para o andamento do processo. O corpo da jovem foi enterrado na tarde do DIA 7 de agosto em um cemitério da zona norte de Recife.

Assista ao vídeo:


R7
Skip to content