Escolha uma Página

Sexto corpo de vítima de queda de helicóptero é encontrado na Bahia
Pescador encontrou corpo boiando em praia de Porto Seguro.
Uma vítima segue desaparecida.

Lílian Marques
O corpo da sexta vítima do helicóptero que caiu na última sexta-feira (17) em Trancoso, no sul da Bahia, foi encontrado em Porto Seguro, no final da tarde desta segunda-feira (20). O corpo é do empresário Marcelo Mattoso Almeida, que pilotava o helicóptero, segundo nota oficial da Marinha do Brasil. Ciro conhecia Mattoso e reconheceu a vítima. Segundo a polícia, o corpo foi localizada por um pescador da região e resgatado por uma lancha conduzida por Ciro Leite.
De acordo com Leite, o corpo foi encontrado boiando a cerca de quatro quilômetros da costa. “Mattoso era uma pessoa muito importante para o desenvolvimento de Porto Seguro. É uma grande perda para todos nós”, lamentou o empresário.
Peritos do Departamento de Polícia Técnica (DPT) estão sendo encaminhados ao local. Uma pessoa segue desaparecida: Jordana Kfuri Cavendish. Cinco corpos já foram enterrados.
Buscas
As buscas desta segunda-feira (20) foram encerradas no início da noite. O trabalho de resgate será retomado na manhã desta terça-feira (21).
Equipes da Marinha do Brasil, junto com equipes da Força Aérea Brasileira, ergueram nesta segunda a cabine do helicóptero que caiu na sexta-feira (17) para buscar vítimas do desastre.
“A célula da aeronave está bastante danificada, com risco inclusive para os marinheiros que estão na operação de resgate. Embora o tempo esteja favorável desde o primeiro dia, a visibilidade da água está bastante ruim, o que dificulta a busca”, diz o Capitão-de-Mar-e-Guerra do 2º Distrito Naval, Alexandre de Moraes Reis.
O helicóptero está localizado a 10 metros de profundidade e a 250 metros da Praia de Itapororoca em Trancoso. A FAB ainda não sabe se a cabine permanecerá no fundo do mar ou se será retirada.
O empresário Marcelo Mattoso Almeida pilotava o helicóptero, apesar da habilitação estar vencida desde 2006, segundo informações do site da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). Ele era dono do resort Jacumã Ocean Resort, que hospedava as vítimas, e presidente do First Class Group. Jordana Kfuri Cavendish, mãe de Luca Kfuri de Magalhães Lins, 3 anos, morto no acidente, continua desaparecida.
G1
Leia também:

MARINHA E AERONÁUTICA AINDA BUSCAM DOIS DESAPARECIDOS NA QUEDA DE HELICÓPTERO

Skip to content